The Netherlands is better prepared for hard Brexit than Britain, says Dutch PM

0
90

The Netherlands is better prepared for a hard Brexit that Britain, Dutch prime minister Mark Rutte told reporters on Thursday, after he was quizzed about progress on the departure talks.

Speaking in Salzburg after an informal summit, Rutte said he acknowledged the fact that British prime minister Theresa May was trying to put serious proposals on the table, but that there were still questions, some serious, that have to be answered.

‘I am still confident that we can come to an agreement this year and the Chequers proposal is helpful, but it is not the outcome,’ Rutte said.

Asked about a report stating European airports, Schiphol in particular, were not ready to deal with the change and that this meant the Netherlands is not ready either, Rutte said: ‘I think we have made more preparations for a no deal than the United Kingdom has… But of course, there are many issues to be dealt with… and we are dealing with them one by one.’

In Tuesday’s budget presentation it emerged the government has set aside an extra €100m to prepare the Netherlands for Brexit. This includes the appointment of 900 new customs officials plus product safety inspectors.

Rutte went on to say that the 27 EU members are united in their approach and that he is convinced that unity is not under threat.

‘We all want to have a strong relationship with the United Kingdom, 65 million people and a huge market,’ he said. ‘But at the same time, we want to maintain the integrity of a single market which serves 420 million customers who are staying behind.’

‘We do not want to take decisions about the 65 million which could hurt the 420 million,’ he said.

Asked if he felt more confident that there would be an agreement, Rutte said: ‘I do not feel more confident, but I am not less optimistic.’ Quizzed if this meant there had been no movement, Rutte said: ‘Not in my assessment of what I still think is achievable, which is a positive result for both the United Kingdom and the EU27.’

Statement

Later the prime minister published a statement outlining what had been achieved during the talks, which included a briefing by Brexit negotiator Michel Barnier and work on migration issues.

‘We’re working on an approach based on the agreements made in the European Council in June. These are: tackling the root causes of migration, strengthening the EU’s external borders, making agreements on the disembarkation of migrants – on both the North African and Southern European coasts – and reforming the common asylum system,’ the statement said.

The statement was dismissed by Thierry Baudet, leader of the right-wing and anti-EU Forum voor Democratie as a job application. ‘The prime minister is ready for it. He is openly applying for a European job.’

Rutte has denied several times that he is after the EU presidency when Donald Tusk hands over the post next year.

Source: Dutch News

Holanda está melhor preparada para um ‘hard Brexit’ que o Reino Unido, diz PM holandês

A Holanda está melhor preparada para um ‘hard Brexit’ que a Reino Unido conforme palavras do primeiro-ministro holandês Mark Rutte a repórteres na quinta-feira, após de ter sido questionado sobre o progresso nas negociações de saída.

Após uma reunião informal realizada em Salzburgo, Rutte disse que reconheceu o fato de que a primeira-ministra britânica Theresa May estava tentando colocar propostas sérias sobre a mesa, mas que ainda havia questões, algumas sérias, que precisam ser respondidas.

“Ainda estou confiante de que podemos chegar a um acordo este ano e o plano Checkers é útil, mas não é o resultado”, disse Rutte.

Perguntado sobre um relatório afirmando que os aeroportos europeus, especialmente o de Schiphol, não estavam prontos para lidar com a mudança e que isso significa que a Holanda também não está pronta, Rutte disse: “Acho que fizemos mais preparativos para um acordo que o Reino Unido. Mas é claro, há muitos assuntos a serem tratados, e estamos lidando com eles um por um”.

Na apresentação do orçamento de terça-feira, o governo reservou um extra de €100 milhões para preparar a Holanda para o Brexit. Isso inclui a contratação de 900 novos funcionários aduaneiros, além de inspetores de segurança de produtos.

Rutte continuou dizendo que os 27 membros da UE estão unidos em sua abordagem e que ele está convencido de que a união não está sob ameaça.

“Todos nós queremos ter um forte relacionamento com o Reino Unido, com 65 milhões de pessoas e um mercado enorme”, disse ele. “Mas, ao mesmo tempo, queremos manter a integridade de um mercado único que atende a 420 milhões de clientes que estão ficando para trás”.

“Não queremos tomar decisões sobre os 65 milhões que podem prejudicar os 420 milhões”, disse ele.

Perguntado se ele se sentia mais confiante de que haveria um acordo, Rutte disse: “Não me sinto mais confiante, mas não menos otimista”. Questionado se isso significava que não houve progresso, Rutte disse: “Não na minha avaliação do que eu ainda acho viável, que é um resultado positivo tanto para o Reino Unido como para a UE27”.

Declaração

Mais tarde, o primeiro-ministro emitiu uma declaração descrevendo o que havia sido alcançado durante as negociações, que incluíam um briefing do negociador do Brexit, Michel Barnier, e questões referentes à migração.

“Estamos trabalhando em uma abordagem baseada nos acordos feitos no Conselho Europeu em junho. São elas: combater as causas profundas da migração, reforçar as fronteiras externas da UE, celebrar acordos sobre o desembarque de migrantes – tanto nas costas do norte da África como no sul da Europa – e reformar o sistema comum de asilo”, disse o comunicado.

A declaração foi rechaçada por Thierry Baudet, líder do movimento de extrema-direita e anti-UE ‘Forum Voor Democratie’ como uma candidatura de emprego. “O primeiro-ministro está pronto para isso. Ele está solicitando abertamente um emprego europeu”.

Rutte negou várias vezes que esteja atrás da presidência da União Europeia quando Donald Tusk deixar o cargo ano que vem.

Fonte: Dutch News

NO COMMENTS