Result was due to the 4.3% increase in sales volume

Brazilian agribusiness exports rose from US$ 56.39 billion to US$ 59.2 billion between January and July this year (+ 5%), a record figure for the entire historical series (1997-2018) for the period, according to the Agribusiness Trade Balance Bulletin released by the Secretariat of International Relations of Agribusiness (SRI) of the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply on Thursday (9).

The record was obtained mainly due to the increase in the volume of exports, which increased by 4.3%. The export price index increased by 0.7%.

Agro accounted for 43.4% of total Brazilian foreign sales in the period analyzed. Imports in the sector totaled US$ 8.3 billion in the period (-0.6%). As a result, the trade balance of agribusiness in the first seven months of the year was US$ 50.9 billion.

The soybean complex was the main responsible for the result of foreign sales in the seven months, totaling US$ 27.26 billion (+ 18.5%). Sales of soybeans totaled US$ 22.50 billion (+ 17.2%) and had an 82.5% share of the total value exported by the segment. This amount is a record of the historical series (1997-2018). The 56.47 million ton of soybeans exported are also a record for the same period.

Soybean meal exports were also highest in value and quantity. From January to July, US$ 4.06 billion in soybean meal (+ 30.1%) or the equivalent of 10.3 million ton (+ 17.5%) were sold abroad.

Forest products ranked second among the main agribusiness segments, reaching US$ 8.11 billion, up 27.4%. The main exported product was pulp, with US$ 4.94 billion (+ 40.8%), with a record of 9 million ton (+ 11.0%). According to the SRI newsletter, the product comes, year after year, breaking record in external shipments.

Economic Block

Asia increased its share among importers of Brazilian agriculture. In 1997, the continent’s share was 16.1%. In the last ten years participation has increased, reaching 51.8% in the accumulated of the year (January-July).

China is the main market

The main reason for the increase in exports to China is the sale of soybeans. The amount has risen from 39.4 million ton to 43.9 million ton of soybeans in the period under review.

Soybean’s share of total exports to China reached 80.6%, an equivalent to US$ 17.55 billion.

Among the countries importing Brazilian agribusiness products are also Turkey (US$ 954.05 million + 106.5%); South Korea (US$ 1.16 billion + 26.7%); Argentina (US$ 971.47 million + 25.6%); France (US$ 804.44 million + 17.1%); and Hong Kong (US$ 1.51 billion + 16.1%).

The main products exported to Turkey between January and July were soybeans, with US$ 463.92 million (+ 342.8%), as well as live cattle, with a sale of US$ 240.85 million (+307, 6%).

Source: Ministry of Agriculture, Livestock and Food Supply

Agro registra recorde de US$ 59,2 bi em vendas externas desde janeiro

As exportações brasileiras do agronegócio subiram de US$ 56,39 bilhões para US$ 59,2 bilhões entre janeiro e julho deste ano (+5%), valor recorde de toda a série histórica (1997-2018) para o período, conforme o Boletim da Balança Comercial do Agronegócio divulgado pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta quinta-feira (9).

O recorde foi obtido em função, principalmente, da elevação do volume das exportações, que subiu 4,3%. O índice de preços das exportações teve incremento de 0,7%.

O agro representou 43,4% do total das vendas externas brasileiras no período analisado. As importações no setor totalizaram US$ 8,3 bilhões no período (-0,6%). Como resultado, o saldo da balança comercial do agronegócio nos primeiros sete meses do ano foi de US$ 50,9 bilhões.

O complexo soja foi o principal responsável pelo resultado das vendas externas nos sete meses, somando US$ 27,26 bilhões (+18,5%). As vendas de soja em grão foram de US$ 22,50 bilhões (+17,2%) e tiveram participação de 82,5% no valor total exportado pelo segmento. O montante é recorde da série histórica (1997-2018). As 56,47 milhões de toneladas de soja em grão exportadas também são recorde para o período.

As exportações de farelo de soja também foram recordes em valor e quantidade. De janeiro a julho, foram vendidos ao exterior US$ 4,06 bilhões em farelo de soja (+30,1%) ou o equivalente a 10,3 milhões de toneladas (+17,5%).

Os produtos florestais ficaram na segunda posição dentre os principais segmentos do agronegócio, atingindo US$ 8,11 bilhões, em alta de 27,4%. O principal produto exportado foi a celulose, com US$ 4,94 bilhões (+40,8%), com recorde de 9 milhões de toneladas (+11,0%). De acordo com o boletim da SRI, o produto vem, ano após ano, quebrando recorde nos embarques externos.

Bloco Econômico

A Ásia aumentou sua participação entre os importadores do agro brasileiro. Em 1997, a participação do continente era de 16,1%. Nos últimos dez anos, a participação tem aumentado, atingindo, 51,8%, no acumulado do ano (janeiro a julho).

China é principal mercado

A principal razão para a elevação das exportações para a China foram as vendas de soja em grão. A quantidade subiu de 39,4 milhões de toneladas para 43,9 milhões de toneladas de soja em grão no período em análise.

A participação da soja em grão nas exportações totais à China chegou a 80,6%, o equivalente a US$ 17,55 bilhões.

Entre os países importadores de produtos do agronegócio brasileiro também se destacam a Turquia (US$ 954,05 milhões; +106,5%); Coreia do Sul (US$ 1,16 bilhão; +26,7%); Argentina (US$ 971,47 milhões; +25,6%); França (US$ 804,44 milhões; +17,1%); e Hong Kong (US$ 1,51 bilhão; +16,1%).

Os principais produtos exportados para a Turquia, entre janeiro e julho, foram: soja em grãos, com US$ 463,92 milhões (+ 342,8%) e bovinos vivos, com vendas de US$ 240,85 milhões (+307,6%).

Confira o resumo da balança comercial do agronegócio

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento