By Gisela Introvini, FAPCEN Superintendent

The Foundation for the Support of Research in the North Exports Corridor (FAPCEN), located in the state of Maranhão, expects to reach one million tons of certified soy in this new harvest. This milestone is only possible because farmers have been working more intensely on rural properties and aligning their activities – such as management, human resources, social projects, production and the environment – with the principles and criteria set forth by the Round Table on Responsible Soy Association (RTRS).

Field practices focus on soil preservation, enabled by off-harvest maize production and the inclusion of key forage crops; which the Livestock Integration system increases maximum soy yields. Our motivations translate into a focus on property management and good environmental, social and economic practices – known as “land valuation”.

In order to adapt, we work in close alignment with the precepts laid out by RTRS – a wonderful tool that translates the thoughts, actions and aspirations of rural producers in the Cerrado region of northeast Brazil. It should be noted that producers are becoming more organized and concerned about making the necessary changes to their farms in order to receive the seal of sustainability.

Currently, approximately 25% of the area planted with soy in Maranhão is RTRS-certified. We realize that the European market is becoming increasingly rigorous and we are also aware of the interest shown by the Asian market; soon, certifications will be more than just a competitive advantage – they will become an important component in facilitating market access.

Because of RTRS’s visibility on the ground, producers often seek us out spontaneously. FAPCEN was contacted to work in different Brazilian states (such as Bahia and Minas Gerais), which motivates us to develop our activities even further.

Despite recent progress in key economic sectors, huge social gaps still exist in the Brazilian states of Maranhão and Piauí. As rural properties and their communities are far removed from large urban centers, producers are always assisting nearby communities.

The creation of the MATOPIBA (Maranhão-Tocantins-Piauí-Bahia) region was an excellent way of ensuring the region receives national attention – especially the MATOPI region. Certification ensures the region is recognized, thus increasing land value.

Source: Notícias Agrícolas (in Portuguese)

Investimento em soja certificada visa aumento de produtividade no Maranhão

Por Gisela Introvini, Superintendente da Fapcen

A Fundação de Apoio a Pesquisa do Corredor Exportação Norte – FAPCEN, situada no estado do Maranhão, planeja alcançar um milhão de toneladas de soja certificada nessa nova safra. Esse marco será possível porque os produtores têm trabalhado mais nas propriedades rurais, fazendo com que os seus setores, como gestão, recursos humanos, projetos sociais, área ambiental e de produção, estejam alinhados dentro dos princípios e critérios da Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS).

As práticas de campo buscam a conservação dos solos, permitido pela safrinha de milho e inclusão das principais forrageiras, em que o sistema Integração Lavoura Pecuária resulta em altos tetos produtivos na soja. O foco na gestão da propriedade e nas boas práticas ambientais, sociais e econômicas, traduzem estas nossas motivações, denominadas como valorização territorial.

Para nos adequarmos, estamos trabalhando alinhados aos preceitos da RTRS, uma excelente ferramenta que veio traduzir o que pensa, faz e o que pretende o produtor rural que planta nos cerrados do nordeste do Brasil. É notável que os produtores tem se mostrado mais organizados e preocupados em adequar suas fazendas para obter o selo de sustentabilidade.

Atualmente, aproximadamente 25% da área plantada com soja no Maranhão é certificada RTRS. Percebemos que o mercado europeu está cada vez mais rigoroso e o mercado asiático demonstra interesse e, num futuro próximo, as certificações serão mais do que uma vantagem competitiva, serão um importante facilitador para o acesso ao mercado.

Esta visibilidade territorial faz com que os produtores nos procurem de forma espontânea, fazendo com que a FAPCEN seja contatada para realizar trabalhos em outros estados brasileiros, como Bahia e Minas Gerais, o que motiva ainda mais a continuarmos desenvolvendo nossas atividades.

Apesar do desenvolvimento alcançado em alguns setores econômicos, o Maranhão e o Piauí permanecem sendo estados brasileiros com enormes diferenças sociais. As propriedades rurais e suas comunidades permanecem distantes dos grandes centros urbanos, mostrando que os produtores estão sempre proporcionando auxílio as comunidades próximas.

A criação do MATOPIBA (Maranhão-Tocantins-Piauí-Bahia) foi excelente para que essa região seja divulgada nacionalmente, principalmente a região do MATOPI. Com a certificação, esta visualização territorial é reconhecida, fazendo com que nossas terras sejam mais valorizadas.

Fonte: Notícias Agrícolas