Interview with Angela Marlet-Wiegel, RVO communication advisor

What exactly do you do for work at RVO.nl and what topics do you focus on?
“I work as a communication advisor for the Wind Energy on Sea team, i.e. Offshore Wind Energy. One of the objectives is to show the Netherlands as an expert in the field of offshore wind energy, for which the Wind & Water Works campaign was set up at the end of 2017. I am directly involved.

“Offshore wind energy is an international market, in which the Netherlands is becoming more and more attractive to foreign investors, but Dutch companies themselves are also more in the picture, mainly because of their knowledge and experience, which they can sell abroad, already doing so in Taiwan, South Korea, Japan, Thailand, Indonesia, China, United States and France, countries surrounded by a lot of water.

“Through the International Energy program, companies can enter these (and other) promising new markets and I am closely involved as communication consultant for national programs.

“So this growth is both national and international, and with my work I am exactly on the dividing line.”

What does a work week look like for you?
“My work week is not standard behind a computer! I have production days and consultation days. On the production days, for example, I oversee a communication plan or write an article. On consultation days I consult with colleagues at RVO, the Ministry of Economic Affairs and Climate, interest groups and representatives of the wind energy industry, I think it’s a good balance.

“Until recently, the world of wind energy was rather small, and we are now seeing the Dutch wind energy industry experiencing a huge growth spurt. In a short time, wind energy has changed from a sustainable but costly energy source to a sustainable and affordable energy source.

“Thanks to a smart way of tendering, there was a cost reduction, which meant that we could work without subsidies after two tenders, which also meant that there was much more demand from abroad for Dutch knowledge.

“The sector organizations now have to start thinking bigger and more internationally – just like with the oil and gas industry, we will also be conquering the world with wind energy!”

How do you help entrepreneurs in the field of international business?
“At a certain point we received requests from Dutch embassies from the United States and Taiwan, who asked us to explain the successful Dutch tender policy, and then organized a masterclass from Energy International, together with two ministries. I advised to link the masterclass to an international wind event where the Dutch sector could present itself.

“This year’s masterclass was held last November, where 10 countries took part – a great success!” This was also confirmed by the Dutch ambassador in Denmark, another strong offshore wind energy country.

“You have to have a story, a message on behalf of the ‘Netherlands Inc.’. With companies, sector and government, I have prepared that story and mixed it with attractive images, which resulted in the campaign and a video that they all recognize themselves in.

“It takes time to explain to embassies what the Netherlands has to offer with offshore wind energy, and although an embassy has its own network, they do need expert advice to fulfill the ambassador’s role.

“In ten years’ time, offshore wind energy will be one of the pearls of export, I am convinced that the Netherlands and water are almost synonymous! This includes offshore wind.”

Do you have advice for entrepreneurs who are interested in exporting wind energy knowledge?
“Before you start, start by collecting your information from RVO. RVO can put you in touch with the embassy in the country in question. There might be a trade trip already in the planning. Get information about the sector organizations  that are already there.

“Experience shows that these companies already have a network, so it may be useful to let them know that you are interested too, even if you are each other’s competing colleagues, so there is also a common story and marketing campaign that you can use as an entrepreneur.”

Which initiative are you most proud of and why?
“I am most proud of the realization of the Wind & Water Works campaign, which has ensured a link – national and international – that was not there at the moment, the cooperation within the government, and sharing that story together, supported by the embassies and companies: great! I am happy when I am called and someone asks: I have just seen your video, can we also make a Taiwanese translation?

“Yes, within RVO I experience my work as a pioneer, which is fun and exciting.”

More information

Do you have questions about international business? Please contact Steven von Eije of the Energy International Program or call the Rijksdienst voor Ondernemend Nederland on 088 042 42 42.

Source: RVO

Energia eólica offshore em breve será uma das pérolas da exportação holandesa

Entrevista com Angela Marlet-Wiegel, assessora de comunicação da RVO

Qual é exatamente seu trabalho na RVO.nl e em quais tópicos você se concentra?
“Eu trabalho como consultora de comunicação para a equipe de energia eólica no mar, ou seja, energia eólica offshore. Um dos objetivos é mostrar a Holanda como especialista no campo de energia eólica offshore, com a campanha Wind & Water Works, que foi construída no final de 2017. Estou diretamente envolvida nesse projeto.

“A energia eólica offshore é um mercado internacional, no qual a Holanda está se tornando cada vez mais atraente para os investidores estrangeiros, mas as próprias empresas holandesas também estão mais em evidência, principalmente por seu conhecimento e experiência, que podem ser vendidos ao exterior, o que já ocorre em Taiwan, Coréia do Sul, Japão, Tailândia, Indonésia, China, Estados Unidos e França, países cercados por muita água.

“Através do programa Energia Internacional, as empresas podem entrar nestes (e outros) novos mercados promissores e eu estou estreitamente envolvida como consultora de comunicação dos programas nacionais.

“Portanto, esse crescimento é nacional e internacional e, com meu trabalho, estou exatamente na linha divisória”.

Como é uma semana de trabalho para você?
“Minha semana de trabalho não é padrão, apenas atrás de um computador! Tenho dias de produção e dias de consulta. Nos dias de produção, por exemplo, supervisiono planos de comunicação ou escrevo um artigo. Nos dias de consulta, eu ofereço consultoria aos meus colegas na RVO, Ministério da Comunicação, Assuntos Econômicos e Clima, grupos de interesse e representantes da indústria de energia eólica. Acho que é um bom equilíbrio.

“Até recentemente, o mundo da energia eólica era muito pequeno, e agora estamos vendo a indústria de energia eólica holandesa experimentando um enorme surto de crescimento. Em um curto espaço de tempo, a energia eólica mudou de uma fonte de energia sustentável mas dispendiosa para uma sustentável e acessível.

“Graças a uma forma inteligente de licitação, houve uma redução de custos, o que significa que poderíamos trabalhar sem subsídios depois de duas licitações, o que também significa que há muito mais demanda do exterior pelo conhecimento holandês.

“As organizações do setor agora precisam começar a pensar mais e mais internacionalmente – assim como no setor de petróleo e gás, também estaremos conquistando o mundo com a energia eólica!”

Como você ajuda empreendedores no campo de negócios internacionais?
“A certa altura recebemos pedidos de embaixadas holandesas dos Estados Unidos e de Taiwan, que nos pediram para explicar a bem-sucedida política de licitação holandesa, e então organizamos uma masterclass da Energy International, junto com dois ministérios. Aconselhei a vincular a masterclass a um evento eólico internacional onde o setor holandês poderia se apresentar.

“A última masterclass foi realizada em novembro, onde 10 países participaram – foi um grande sucesso, confirmado pelo embaixador holandês na Dinamarca, outro forte país de energia eólica offshore.

“Você tem que ter uma história, uma mensagem em nome da ‘Holanda S/A.’. Com empresas, setor e governo, preparei essa história e misturei com imagens atraentes, o que resultou na campanha e em um vídeo em que todas essas instituições possam se identificar.

“Leva tempo para explicar às embaixadas o que a Holanda tem a oferecer com a energia eólica offshore e, embora uma embaixada tenha sua própria rede, elas precisam de aconselhamento especializado para cumprir o papel do embaixador.

“Em dez anos, a energia eólica offshore será uma das pérolas da exportação, estou convencida de que os Países Baixos e a água são quase sinônimos! Isso inclui a energia eólica marítima”.

Você tem conselhos para empresários interessados em exportar conhecimento em energia eólica?
“Antes de começar, comece por coletar suas informações com a RVO. A RVO pode colocá-lo em contato com a embaixada no país em questão. Pode haver uma viagem comercial já em planejamento. Obtenha informações sobre as organizações do setor que já estão lá.

“A experiência mostra que essas empresas já têm uma rede, por isso pode ser útil que elas saibam que você também está interessado, mesmo que sejam colegas concorrentes uns dos outros. Portanto, há também uma história e uma campanha de marketing comuns que você pode usar como empreendedor.”

De qual iniciativa você mais se orgulha e por quê?
“Estou muito orgulhosa da realização da campanha Wind & Water Works, que garantiu uma ligação – nacional e internacional – que não estava lá no momento, a cooperação dentro do governo e o compartilhamento dessa história, apoiado pelas embaixadas e empresas: isso é ótimo, fico feliz quando alguém me liga e pergunta: Acabei de ver o seu vídeo, podemos também fazer uma tradução para Taiwan?

“Sim, dentro da RVO sinto que meu trabalho é pioneiro, o que é divertido e excitante.”

Mais Informações

Você tem dúvidas sobre negócios internacionais? Por favor, entre em contato com Steven von Eije, do Programa Internacional de Energia, ou ligue para o Rijksdienst voor Ondernemend Nederland, no 088 042 42 42.

Fonte: RVO