‘The Netherlands is a maritime nation with a vested interest in clean oceans and stands ready to partner with Kenya in its pledge to embrace Blue Economy principles.’ H.E. Frans Makken, Ambassador of the Kingdom of the Netherlands to Kenya

This Wednesday (27), the Netherlands Embassy in Kenya co-organized an innovative side event on ‘Building the Global Momentum on Marine Plastics Litter’ on the occasion the Blue Economy Conference held in Nairobi. Kenyan Cabinet Secretary for Environment and Forestry Hon. Keriako Tobiko, Canadian Minister of Fisheries, Oceans and the Canadian Coast Guard, Hon. Jonathan Wilkinson, business representatives and Dutch creative thinkers came together to share sustainable practices in dealing with the increase of plastic litter in our oceans. Implementing innovative solutions to this problem is key as marine litter does not only pose a direct threat to the biodiversity of our oceans, but is also increasingly becoming a major public health concern in many countries.

For this event, the Embassy of the Kingdom of the Netherlands in Kenya has invited Merijn Tinga, the ‘Plastic Soup Surfer’ who fights plastic pollution using his surfboard as a weapon. His campaigns combine plastic pollution awareness with creativity, innovation and a call for action. His campaign on promoting deposits on small plastic bottles resulted in new policy in the Netherlands. He is currently working on a new documentary about the role plastic plays in our society and is inspired by his visit to Kenya: ‘Kenya is a pioneer in banning single-use plastic bags and is thereby preventing these bags from polluting our oceans. Kenia is rethinking the role plastics play in society, and is open to deposit schemes and I believe there is room for more cooperation between my country, the Netherlands, and Kenya so we can learn from each other’s experiences’.

The management of marine plastics is an important topic to the Netherlands. By 2050, the Netherlands aims to have an economy that will run completely on reusable raw materials. To realize that, various government, business and non-governmental organizations have signed a deal which includes all programs aimed at handling raw materials more efficiently. The Dutch government is transitioning to a circular economy that will not only benefit the climate, but also generate income and jobs. This will ensure that there is no waste as products are reused as much as possible. The Netherlands also invest in smart technologies for water recycling and the Netherlands and Dutch businesses have proven to be a partner to Kenya in promoting sustainable water solutions.

For instance, yesterday, the Ambassador of the Netherlands to Kenya, H.E. Frans Makken officially opened Maji Water Storage Ltd. Maji Water Storage ltd. based in Nairobi is a genuine Kenyan-Dutch joint venture between Irrico International (Kenyan) and Genap BV (Dutch) and is one of the first of its kind in the water sector in Kenya. Maji Water Storage Ltd manufactures steel corrugated bolted tanks in combination with the production of waterproof linings with the aim of providing affordable safe drinking and irrigation water for health and food security anywhere and everywhere for the people of Kenya.

In case of inquiries, feel free to contact Kirsten Hommes (Embassy of the Kingdom of the Netherlands): kirsten.hommes@minbuza.nl

Source: Government of the Netherlands

“A Holanda é uma nação marítima com interesse em limpar os oceanos e está pronta para fazer parceria com o Quênia em sua promessa de adotar os princípios da Economia Azul”. – Frans Makken, embaixador do Reino dos Países Baixos no Quênia

Nesta quarta-feira (27), a Embaixada da Holanda no Quênia organizou um evento paralelo inovador com o tema “Criação de uma Dinâmica Global sobre o Lixo de Plásticos Marinhos” na ocasião da Conferência da Economia Azul realizada em Nairobi. O Secretário do Gabinete Queniano para Meio Ambiente e Silvicultura Keriako Tobiko, o Ministro Canadense das Pescas, Oceanos e Guarda Costeira, Exmo. Jonathan Wilkinson, representantes de empresas e pensadores criativos holandeses se reuniram para compartilhar práticas sustentáveis ao lidar com o aumento do lixo plástico em nossos oceanos. A implementação de soluções inovadoras para este problema é fundamental, pois o lixo marinho não representa apenas uma ameaça direta à biodiversidade dos nossos oceanos, mas também está se tornando cada vez mais uma grande preocupação de saúde pública em muitos países.

Para este evento, a Embaixada do Reino dos Países Baixos no Quênia convidou Merijn Tinga, o “Surfista da Sopa de Plástico”, que luta contra a poluição do plástico usando sua prancha como arma. Suas campanhas combinam a consciência da poluição plástica com a criatividade, a inovação e um apelo à ação. Sua campanha na promoção de depósitos em pequenas garrafas de plástico resultou em uma nova política na Holanda. Ele está atualmente trabalhando em um novo documentário sobre o papel que o plástico desempenha em nossa sociedade e é inspirado por sua visita ao Quênia: “O Quênia é pioneiro na proibição de sacolas plásticas descartáveis e está impedindo que essas sacolas poluam nossos oceanos. O país está repensando o papel que os plásticos desempenham na sociedade e está aberta a esquemas de depósito e acredito que há espaço para mais cooperação entre meu país, Holanda, e Quênia, para que possamos aprender com as experiências uns dos outros.

A gestão de plásticos marinhos é um tema importante para os Países Baixos. Até 2050, os Países Baixos pretendem ter uma economia que funcione completamente com matérias-primas reutilizáveis. Para perceber isso, vários governos, empresas e organizações não-governamentais assinaram um acordo que inclui todos os programas destinados a lidar com matérias-primas de forma mais eficiente. O governo holandês está em transição para uma economia circular que não apenas beneficiará o clima, mas também gerará renda e empregos. Isso garantirá que não haja desperdício, pois os produtos são reutilizados o máximo possível. Os Países Baixos também investem em tecnologias inteligentes para a reciclagem de água e as empresas holandesas e holandesas provaram ser parceiras do Quênia na promoção de soluções sustentáveis de água.

Por exemplo, ontem, o embaixador dos Países Baixos no Quênia, Frans Makken abriu oficialmente a Maji Water Storage Ltd.,  uma joint-venture queniano-holandesa, com sede em Nairobi. entre a Irrico International (Quênia) e a Genap BV (Holanda). A empresa é uma das primeiras do tipo no setor de água no Quênia. A Maji Water Storage Ltd fabrica tanques aparafusados de aço corrugado em combinação com a produção de revestimentos impermeáveis com o objetivo de fornecer água potável e de irrigação a preços acessíveis para a saúde e segurança alimentar para o povo do Quênia.

Fonte: Governo dos Países Baixos