The Dutch pavilion for Dubai EXPO 2020 has been unveiled, designed by a consortium, made up of Expomobilia, Kossmann.dejong, V8 Architects and Witteveen+Bos. The scheme has been designed “as a closed-loop climate system in which private and business visitors will enjoy an intense sensorial experience.”

Based on the Netherland’s chosen theme of “uniting water, energy, and food” the pavilion will be built using a construction method prioritizing closed-loop circularity, local materials, and a post-use recyclable agenda.

Inside the 3700-square-meter pavilion, visitors will be treated to a sensorially-rich experience, engaging with Dutch methods of innovative water, energy, and food harvesting. Against the backdrop of Dubai’s desert climate, the Dutch pavilion will serve as a temporary biotope of warmth, silence, coolness, light, agriculture, and water.

The engineering behind the pavilion is a “temporary exercise in pragmatism” with a highly-engineered aesthetic on the exterior contrasting with a “scintillating layer of light, tactility, and refinement” on the inside inspired by the typical rhythm of the Dutch landscape.

Dubai will be the first Middle Eastern city to host a World Fair in the exhibition’s 160-year history, with more than 25 million people expected to attend the Expo throughout its six-month duration from October 2020 to April 2021. The World Fair is the third largest global event after the Olympics and FIFA World Cup.

The Expo 2020 will also feature a UK Pavilion designed by Es Devlin, a UAE Pavilion designed by Santiago Calatrava, a Luxembourg Pavilion by Metaform and The Space Factory, a Sustainability Pavilion by Grimshaw, and themed pavilions by Foster + Partners and Bjarke Ingels Group.

Source: Arch Daily

Pavilhão da Holanda para a Expo 2020 cria um ecossistema temporário no deserto

O pavilhão holandês da EXPO 2020 em Dubai foi projetado por um consórcio formado por Expomobilia, Kossmann.dejong, V8 Architects e Witteveen+Bos. O desenho foi concebido “como um sistema climático de circuito fechado, no qual os visitantes desfrutam de uma grande experiência sensorial”.

Com base no tema escolhido pelos Países Baixos de “unir água, energia e alimento”, o pavilhão será construído usando um método que prioriza o fechamentos dos ciclos, materiais locais e uma agenda reciclável pós-uso.

Dentro do pavilhão de 3700 metros quadrados, os visitantes viverão uma experiência rica em sensorialismo, interagindo com os métodos holandeses relacionados à água, energia e colheita de alimentos. Contra o pano de fundo do clima desértico de Dubai, o pavilhão holandês servirá como um biótopo temporário de calor, silêncio, frescor, luz, agricultura e água.

A engenharia por trás do pavilhão é um “exercício temporário de pragmatismo” com uma estética altamente projetada no exterior que contrasta com uma “camada cintilante de luz, tato e refinamento” no interior, inspirada no ritmo típico da paisagem holandesa.

Dubai será a primeira cidade do Oriente Médio a sediar uma Feira Mundial nos 160 anos de história da exposição, com mais de 25 milhões de pessoas esperadas para participar da Expo durante seus seis meses, de outubro de 2020 a abril de 2021. A Feira Mundial é a terceiro maior evento do mundo depois das Olimpíadas e da Copa do Mundo da FIFA.

A Expo 2020 também contará com um Pavilhão do Reino Unido projetado por Es Devlin, um Pavilhão dos Emirados Árabes Unidos projetado por Santiago Calatrava, um Pavilhão de Luxemburgo pela Metaform e The Space Factory, um Pavilhão de Sustentabilidade da Grimshaw e Pavilhões temáticos de Foster + Partners e Bjarke Ingels Group.

Fonte: Arch Daily