The production of solar power grew by 50% in the Netherlands last year. Wind power production remained the same. The share of renewables in the country’s electricity consumption rose from 15% to 17% compared to the year before. The share of renewables in total energy consumption rose from 6.6% to 7.3%.

These figures were released by an official website (www.energieopwek.nl) from the Dutch government tracking renewable energy production in the Netherlands on a daily basis.

Solar PV production in the Netherlands grew from 2.2 TWh to 3.47 TWh in 2018, about 3% of total electricity consumption.

Wind turbines generated some 10.8 TWh of electricity, of which 6.9 TWh came from land, 3.9 TWh from offshore. Wind power, which covered almost 9% of Dutch electricity use, showed no growth because no net capacity was added. The Netherlands has a very ambitious offshore wind program, with a target of 49 TWh in 2030, but this won’t kick in until after 2020.

The production of electricity from biomass grew from 4.7 TWh to 5.8 TWh last year.

The strong growth in solar PV production was mostly due to large-scale projects, Dutch energy website Energeia reports. Solar PV capacity of large-scale projects, registered with Certiq, a state-owned company which issues Guarantees of Origin for renewable energy production, doubled to 1,523 MW in 2018.

Total solar PV capacity in the Netherlands grew by 50% to some 4.3–4.5 GW, according to solar specialist Peter Segaar, quoted by Energeia. Households do not register their panels with Certiq, since they have no interest in acquiring Guarantees of Origin. Residential solar PV rose from approximately 2 to 3 GW, Segaar estimates. He notes that the share of large-scale projects in the Dutch market grew from around a quarter to around a third in 2018.

An important reason why solar has grown faster than onshore wind is the way the Dutch support scheme (called SDE+) works. It is based on tenders which award subsidies to the lowest-cost bidders as measured against CO2 reduction. Solar PV projects have been overwhelmingly winning the tenders.

The good news is that many more large-scale solar PV projects are in the pipeline. More than 6.5 GW of projects that have been awarded a subsidy over the last few years have not been built yet. Most of these projects are still expected to be realized. And this does not include the projects that have participated in the latest SDE+ tender in the second half of 2018. In 2019, two more rounds of SDE+ tenders will follow.

Source: CleanTechnica

Energia solar na Holanda cresce 50% em 2018

A produção de energia solar cresceu 50% nos Países Baixos no ano passado. A produção de energia eólica permaneceu a mesma. A participação das energias renováveis ​​no consumo de eletricidade do país aumentou de 15% para 17% em comparação com o ano anterior. A participação das renováveis ​​no consumo total de energia passou de 6,6% para 7,3%.

Esses números foram divulgados pelo um site oficial (www.energieopwek.nl) do governo holandês acompanhando diariamente a produção de energia renovável na Holanda.

A produção de energia solar fotovoltaica na Holanda cresceu de 2,2 TWh para 3,47 TWh em 2018, cerca de 3% do consumo total de eletricidade.

Turbinas eólicas geraram cerca de 10,8 TWh de eletricidade, dos quais 6,9 TWh vieram de terra, 3,9 TWh da costa. A energia eólica, que cobria quase 9% do uso holandês de eletricidade, não apresentou crescimento, porque nenhuma capacidade líquida foi adicionada. A Holanda tem um programa eólico offshore muito ambicioso, com uma meta de 49 TWh em 2030, mas isso só acontecerá depois de 2020.

A produção de eletricidade a partir da biomassa cresceu de 4,7 TWh para 5,8 TWh no ano passado.

O forte crescimento na produção de energia solar fotovoltaica foi principalmente devido a projetos de grande escala, segundo relatórios do site holandês de energia Energeia. A capacidade de energia solar fotovoltaica de projetos de grande escala, registrada na Certiq, uma empresa estatal que emite certificações de origem para a produção de energia renovável, dobrou para 1.523 MW em 2018.

A capacidade total de energia solar fotovoltaica na Holanda cresceu em 50% para 4,3 a 4,5 GW, de acordo com o especialista em energia solar Peter Segaar, citado pela Energeia. As famílias não registram seus painéis com o Certiq, uma vez que não possuem interesse em adquirir certificações de origem. A energia solar fotovoltaica residencial subiu de aproximadamente 2 para 3 GW, estima Segaar. Ele observou que a participação de projetos de longa escala não era um mercado holandês de 2018.

Uma razão importante pela qual a energia solar tem crescido de forma mais rápida do que a energia eólica é a maneira como o esquema de apoio holandês (chamado SDE +) funciona. Baseiam-se em concursos que são atribuídos aos proponentes de menor custo, em relação à redução de CO2. Os projetos de energia solar fotovoltaica estão vencendo as licitações.

A boa notícia é que existem outros projetos de energia solar fotovoltaica em grande escala. Mais de 6,5 GW de projetos que receberam um subsídio nos últimos anos ainda não foram construídos. Uma das facetas do projeto deve ser realizada. E isso não inclui os projetos que participam da última licitação da SDE + no segundo semestre de 2018. Em 2019, mais duas rodadas de licitações da SDE + serão realizadas.

Fonte: CleanTechnica