The Netherlands has joined a host of nations looking to pass forward-thinking green energy legislation, as Europe takes serious steps to cut fossil fuel use.

The Dutch government has confirmed a date for the country’s parliament to participate in a round-table discussion that could see the sale of conventionally-fuelled vehicles banned by 2025. This will be followed by a debate scheduled for October 13th.

If the suggestions put forward by the country’s Labour Party are adopted in March, Holland will join Norway and Denmark in making a concerted move to develop its electric car industry.

This follows news from Germany, which saw all of its power supplied by renewable energy, specifically solar and wind power on one day in May last year as part of the economic powerhouse’s plan to phase out nuclear energy and fossil fuels.

Outside of Europe, countries like India and China have demanded the use of cars on alternate days in an attempt to lower exhaust fumes which cause serious health problems for the populations of both countries.

Richard Smokers, the principal adviser for sustainable transport at Dutch renewable energy technology company TNO, said the Dutch government is committed to achieving the objectives set in the Paris climate change agreement to reduce greenhouse emissions to 80% less than 1990 levels.

The plan necessitates that the majority of passenger cars be CO2-free energy by 2050.

“Dutch cities still have some problems to meet existing EU air quality standards and have formulated ambitions to improve air quality beyond these standards,” noting that the government had also been reluctant to implement strict policies on the environment.

“The current government embraces long term targets and strives at meeting EU requirements, but is hesitant about proposing ‘strong’ policy measures.
“Instead it prefers to facilitate and stimulate initiatives from stakeholders in society.”

If the law to ban the sale of new fossil-fuel cars by 2025 passes, a significant move will have been made towards phasing out all petrol and diesel cars, added Dr Smokers.

Jan Vos, a member of Holland’s Labour Party, hailed the passing of the proposed ban in through the Netherland’s lower parliament.
“We need to phase out CO2 emissions and we need to change our pattern of using fossil fuels if we want to save the Earth,” adding that affordability of electric vehicles is also an important factor to be considered.

“Transportation with your own car shouldn’t be something that only rich people can afford.”

A spokesperson for the Netherlands Department for Climate, Air and Energy cautioned that the law was not guaranteed to pass.

“The proposal is being considered, but there is still opposition to it,” commented the spokesperson.

EV sales have reportedly surged in the country, which enjoys the status of having one of the lowest levels of CO2 emissions from new cars in the European Union.

In the scandics, Norway has already reached its objective to sell 50 000 electric cars three years ahead of its own target, in part due to financial incentives offered to adopt clean technology. EV’s are exempted from VAT and purchase tax in Norway, thus reducing the potential cost by 50% under new Norwegian laws.

Of possible concern for the Netherlands is ensuring that the current design of electric cars can be scaled to meet the needs and limitations of densely populated urban settings, warned Dr Smokers.

“I think that living labs and other large scale experiments in the coming two decades will be needed to find out how we can tackle this challenge,” he said.

Source: Smart Energy

Holanda pretende banir veículos movidos a combustíveis convencionais até 2050

A Holanda juntou-se a uma série de países que desejam aprovar uma legislação de energia verde com visão de futuro, enquanto a Europa tem tomado medidas sérias para reduzir o uso de combustíveis fósseis.

O governo holandês confirmou uma data para o parlamento do país participar de uma discussão que pode resultar na proibição da a venda de veículos movidos convencionalmente até 2025. A discussão será seguida por um debate marcado para 13 de outubro.

Se as sugestões apresentadas pelo Partido Trabalhista do país forem adotadas em março, a Holanda se juntará à Noruega e à Dinamarca para empreender uma ação em conjunto para o desenvolvimento de sua indústria de carros elétricos.

Essas ações vêm após a Alemanha ter visto todo o fornecimento de energia do país através energias renováveis, especificamente energia solar e eólica, durante um dia em maio do ano passado como parte do plano de eliminar a energia nuclear e os combustíveis fósseis.

Fora da Europa, países como a Índia e a China exigiram o uso de carros em dias alternados na tentativa de reduzir os gases que causam sérios problemas de saúde para as populações de ambos os países.

Richard Smokers, principal assessor de transportes sustentáveis ​​da TNO, empresa holandesa de tecnologia de energia renovável, disse que o governo holandês está comprometido em atingir os objetivos estabelecidos no acordo de mudança climática de Paris para reduzir as emissões de gases do efeito estufa para 80% menos que os níveis de 1990.

O plano exige que a maioria dos carros de passageiros seja energia livre de CO2 até 2050.

“As cidades holandesas ainda têm alguns problemas para atender aos atuais padrões de qualidade do ar da UE e têm formulado ambições para melhorar a qualidade do ar além desses padrões”, observando que o governo também relutou em implementar políticas rígidas sobre o meio ambiente.

“O atual governo abraça metas de longo prazo e se esforça para atender às exigências da UE, mas hesita em propor medidas políticas ‘fortes’.
“Em vez disso, prefere facilitar e estimular iniciativas de partes interessadas na sociedade.”

Se a lei proibir a venda de novos carros movidos a combustível fóssil até 2025, um movimento significativo terá sido feito no sentido de eliminar todos os carros a gasolina e diesel, acrescentou o Dr. Smokers.

Jan Vos, um membro do Partido Trabalhista da Holanda, saudou a aprovação da proposta de proibição através do parlamento inferior dos Países Baixos.
“Precisamos eliminar gradualmente as emissões de CO2 e precisamos mudar nosso padrão de uso de combustíveis fósseis se quisermos salvar a Terra”, acrescentando que a acessibilidade dos veículos elétricos também é um fator importante a ser considerado.

“Transporte com seu próprio carro não deve ser algo que apenas pessoas ricas possam pagar”.

Um porta-voz do Departamento de Clima, Ar e Energia da Holanda alertou que a lei não tem garantia de aprovação.

“A proposta está sendo considerada, mas ainda há oposição a ela”, comentou o porta-voz.

As vendas de veículos esportivos supostamente subiram no país, que desfruta do status de ter um dos níveis mais baixos de emissões de CO2 de carros novos na União Europeia.

Na Escandinávia, a Noruega já atingiu seu objetivo de vender 50 mil carros elétricos três anos à frente de sua própria meta, em parte devido aos incentivos financeiros oferecidos para adotar a tecnologia limpa. Os EVs estão isentos do IVA e do imposto sobre compras na Noruega, reduzindo assim o custo potencial em 50% de acordo com as novas leis norueguesas.

Um grande desafio para os Países Baixos nesse sentido será o de garantir que o projeto atual de carros elétricos possa ser dimensionado para atender às necessidades e limitações de ambientes urbanos densamente povoados, alertou o Dr. Smokers.

“Acredito que laboratórios vivos e outros experimentos em larga escala nas próximas duas décadas serão necessários para descobrir como podemos enfrentar esse desafio”, disse ele.

Fonte: Smart Energy