In this new edition we updated the comparison to meet the standards and interpretations that are mandatory for an annual reporting period beginning on or after 1 January 2018.

Hopefully this publication will support you to obtain or enhance a clear understanding of main differences and similarities between IFRS and Dutch GAAP. Like our previous comparison (2017), we trust this publication will be appreciated by stakeholders of financial reporting in the Netherlands and abroad. We believe that the publication IFRS compared to Dutch GAAP: An overview is relevant and is an example of our promise and commitment to add value and provide transparency on the requirements for financial reporting.

In this new edition we updated the comparison to meet the standards and interpretations that are mandatory for an annual reporting period beginning on or after 1 January 2018. This is the year that the new IFRSs on Financial instruments (IFRS 9) and Revenue from contracts with customers (IFRS 15) came into effect. The new IFRS on Leases (IFRS 16) will become effective in 2019. The Dutch Accounting Standards Board allows companies reporting under Dutch GAAP to opt for applying impairment of financial assets based on the expected credit loss model under IFRS 9 and to apply IFRS 15 in full. In addition, the Dutch Accounting Standards Board announced that companies reporting under Dutch GAAP can also apply IFRS 16 for lease accounting.

Such options under Dutch GAAP are particularly relevant for those companies that are part of group reporting under IFRS, as well as for companies in industries for which IFRS is the commonly used financial reporting standard.

This development makes an updated comparison even more valuable; not only for users of financial information, but also for companies considering adopting IFRS or at least adopting the new standards under IFRS in their financial statements.

Access the pdf here.

Source: KPMG

IFRS comparado ao GAAP holandês: uma visão geral

Nesta nova edição, atualizamos a comparação para atender às normas e interpretações que são obrigatórias para o período de relatório anual com início em ou após 1º de janeiro de 2018.

Esperamos que esta publicação auxilie na obtenção ou aprimoramento de um entendimento claro das principais diferenças e similaridades entre o IFRS (Normas Internacionais de Relatório Financeiro) e o GAAP holandês. Tal como na nossa comparação anterior (2017), confiamos que esta publicação será apreciada pelas partes interessadas nos relatórios financeiros nos Países Baixos e no estrangeiro. Acreditamos que a publicação “IFRS compared to Dutch GAAP: An overview” é relevante e é um exemplo de nossa promessa e compromisso de agregar valor e fornecer transparência sobre os requisitos para relatórios financeiros.

Nesta nova edição, atualizamos a comparação para atender às normas e interpretações que são obrigatórias para o período de relatório anual com início em ou após 1º de janeiro de 2018. Este é o ano em que as novas IFRSs sobre instrumentos financeiros (IFRS 9) e Receita de contratos com clientes (IFRS 15) entraram em vigor. O novo IFRS sobre arrendamentos (IFRS 16) entrará em vigor em 2019. O Dutch Accounting Standards Board permite que empresas que reportam sob o GAAP holandês optem entre aplicar pela imparidade de ativos financeiros com base no modelo de perda de crédito esperado de acordo com o IFRS 9 ou aplicar o IFRS 15 em sua totalidade. Além disso, o Dutch Accounting Standards Board anunciou que as empresas que reportam sob o GAAP holandês também podem aplicar a IFRS 16 para contabilidade de arrendamento.

Essas opções, de acordo com o GAAP holandês, são particularmente relevantes para as empresas que fazem parte dos relatórios do grupo em IFRS, bem como para empresas em setores para os quais o IFRS é o padrão comumente usado para relatórios financeiros.

Esse desenvolvimento torna uma comparação atualizada ainda mais valiosa; não apenas para usuários de informações financeiras, mas também para empresas que estejam adotando as IFRS ou pelo menos adotando as novas normas de acordo com as IFRS em suas demonstrações financeiras.

Acesse o pdf aqui.

Fonte: KPMG