Photo: Alan Santos/PR

Decision was agreed at a meeting between Bolsonaro and Trump in the USA

President Jair Bolsonaro has agreed that Brazil will give up the differential treatment that developing countries receive at the World Trade Organization (WTO) in exchange for US support for Brazil’s accession to the Organization for Economic Cooperation and Development (OECD). The decision was made at a meeting between Bolsonaro and US President Donald Trump yesterday (19) at the White House in Washington.

The OECD brings together the most industrialized countries in the world and sets joint parameters of economic and legislative rules for members. According to a statement from the two presidents released by the Foreign Ministry earlier in the evening, Trump praised Brazil’s efforts to reform the economy and align regulatory practices and milestones, and expressed support for Brazil to begin the accession process.

In return, the US president asked Brazil to give up special status in the WTO negotiations. “In proportion to its status as a global leader, President Bolsonaro has agreed that Brazil will begin to give up special and differential treatment in World Trade Organization negotiations, in line with the United States proposal,” the statement said.

Trade and investment

The two presidents have made a number of commitments in the commercial area. Bolsonaro has announced that Brazil will import 750,000 tonnes of wheat from the United States every year at zero tariffs and will buy North American pork again. The US government will send a technical mission to Brazil to examine the possibility of beef exports from Brazil to the United States being resumed.

Trump and Bolsonaro will negotiate a mutual recognition agreement on authorized economic operators, which will allow cost reduction for companies in both countries.

The two presidents agreed to build a partnership to increase jobs and reduce barriers to trade and investment, enhancing the work of the US-Brazil Economic and Trade Commission.

In addition, Trump and Bolsonaro announced a new phase of the US-Brazil Senior Executives Forum and the creation of a $100 million investment fund to preserve biodiversity and stimulate sustainable investments in the Amazon Rainforest. They also agreed to establish a bilateral energy forum to facilitate trade and investment related to the energy sector.

Source: Agência Brasil

Por: Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil

Brasil abrirá mão de direitos na OMC para ingressar na OCDE

Decisão foi acertada em encontro de Bolsonaro e Trump nos EUA

O presidente Jair Bolsonaro concordou que o Brasil abra mão do tratamento diferenciado que os países em desenvolvimento recebem na Organização Mundial do Comércio (OMC) em troca do apoio dos Estados Unidos à adesão do país à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A decisão foi acertada em reunião de Bolsonaro com o presidente norte-americano, Donald Trump, ontem (19) na Casa Branca, em Washington.

A OCDE reúne os países mais industrializados do mundo e estabelece parâmetros conjuntos de regras econômicas e legislativas para os membros. Segundo comunicado dos dois presidentes divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores no início da noite, Trump elogiou os esforços do Brasil para reformar a economia e alinhar as práticas e os marcos regulatórios e manifestou apoio para que o Brasil inicie o processo de adesão.

Em troca, o chefe de Estado norte-americano pediu que o Brasil abra mão do status especial nas negociações da OMC. “De maneira proporcional ao seu status de líder global, o presidente Bolsonaro concordou que o Brasil começará a abrir mão do tratamento especial e diferenciado nas negociações da Organização Mundial do Comércio, em linha com a proposta dos Estados Unidos”, destacou o comunicado conjunto.

Comércio e investimentos

Os dois presidentes assumiram uma série de compromissos na área comercial. Bolsonaro anunciou que o Brasil importará 750 mil toneladas de trigo dos Estados Unidos por ano com tarifa zero e voltará a comprar carne suína norte-americana. O governo norte-americano mandará uma missão técnica ao Brasil para analisar a possibilidade de que as exportações de carne bovina do Brasil para os Estados Unidos sejam retomadas.

Trump e Bolsonaro negociarão um acordo de reconhecimento mútuo sobre operadores econômicos autorizados, o que permitirá a redução de custo para as empresas dos dois países.

Os dois presidentes concordaram em construir uma parceria para aumentar empregos e reduzir entraves ao comércio e aos investimentos, aprimorando o trabalho da Comissão de Relações Econômicas e Comerciais Brasil–Estados Unidos.

Além disso, Trump e Bolsonaro anunciaram uma nova fase do Fórum de Altos Executivos Brasil–Estados Unidos e a criação de um fundo de investimento de US$ 100 milhões para preservar a biodiversidade e estimular investimentos sustentáveis na Floresta Amazônica. Eles também concordaram em estabelecer um fórum bilateral de energia para facilitar o comércio e os investimentos relacionados ao setor energético.

Fonte: Agência Brasil