Photo: Apex-Brasil

Bringing Brazilian innovation to the world is one of the purposes of the Brazilian Agency for the Promotion of Exports and Investments (Apex-Brasil). Some 25% of the recently announced list of the most promising startups in innovation have already received support by the Agency in the internationalization or investment attraction programs: “100 Startups to Watch”, mapped by representatives of the Pequenas Empresas & Grandes Negócios and Época NEGÓCIOS magazines, of Editora Globo, in partnership with consultants Corp.vc and EloGroup.

Apex-Brasil works with the objective of connecting Brazilian companies and potential buyers or investors and also to minimize the risks for companies (or startups), that want to open operations abroad: it is the so-called internationalization.

“We are proud to know that about a quarter of this list has gone through some of our projects. For us, it means that the portfolio of companies that we are presenting to the international market is the best possible”, commemorates the coordinator of Internationalization of Apex-Brazil, Paula Gomes.

Among the projects that Apex-Brasil has for startups, internationalization is one of the most sought after. “When a company wants to open operations in other countries, it needs to understand very well the ecosystem where it is going to. It is important to consider factors such as labor laws, taxes to be paid, the local regulatory framework, whether there is a market for the product that will be offered and who the competitors are,” explains Paula. “In the case of startups, things tend to be a bit more complex because there is a very large growth potential, but that will depend too much on the ecosystem in which it is inserted to grow,” he explains.

It was thinking about the importance of attending to this specific public that the Agency joined with the Ministry of Foreign Affairs (MRE), the Ministry of Economy, Sebrae and the National Association of Entities Promoting Innovative Enterprises (Anprotec) to launch StartOut Brasil, an internationalization program designed exclusively to meet Brazilian startups who wish to establish a base in another country. The program provides entrepreneurs with personalized training and mentoring according to the opportunity and interest of the company with the target market; participation in a mission with an agenda focused on the prospection of clients and investors and also a post-mission support to define internationalization strategy and/or softlanding in the target market.

The program is intended for already established Brazilian startups, who already have earnings and a 100% dedicated business team, fluency in English (fluency in the language of the destination country is desirable, but not essential) and that demonstrate the ability to expand internationally without compromising its operations in the country.

Startups are evaluated taking into consideration the degree of innovation, precise mapping of the ecosystem that it is interested in, and the maturity of the company and team.

Source: Apex-Brasil

“100 Startups to Watch”: 24 contam com apoio da Apex-Brasil

Levar a inovação brasileira para o mundo é um dos propósitos da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Já foram atendidas pela Agência nos programas de internacionalização ou de atração de investimentos cerca de 25% da recém-divulgada lista das startups mais promissoras em inovação: “100 Startups to Watch”, mapeada por representantes das revistas Pequenas Empresas & Grandes Negócios e Época NEGÓCIOS, da Editora Globo, em parceria com as consultorias Corp.vc e EloGroup.

A Apex-Brasil trabalha com o objetivo de conectar empresas brasileiras e potenciais compradores ou investidores e também de minimizar os riscos para as companhias (ou statups, no caso), que querem abrir operações no exterior: é a chamada internacionalização.

“Ficamos orgulhosos em saber que cerca de um quarto dessa lista já passou por algum de nossos projetos. Para nós, significa que o portfólio de empresas que estamos apresentando ao mercado internacional é o melhor possível”, comemora a coordenadora de Internacionalização da Apex-Brasil, Paula Gomes.

Entre os projetos que a Apex-Brasil tem para as startups, o de internacionalização é dos mais procurados. “Quando uma empresa quer abrir operações e m outros países, ela precisa entender muito bem o ecossistema para onde vai. É importante considerar fatores como leis trabalhistas, impostos a serem pagos, qual o marco regulatório local, se há mercado para o produto que será oferecido e quem são os concorrentes”, explica Paula. “No caso de startups, as coisas costumam ser um pouco mais complexas, pois há um potencial de crescimento muito grande, mas que vai depender demais do ecossistema em que ela está inserida para crescer”, explica.

Foi pensando na importância de atender a este público específico que a Agência se juntou com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), o Ministério da Economia, o Sebrae e a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) para lançar o StartOut Brasil, programa de internacionalização desenhado exclusivamente para atender startups brasileiras que desejam estabelecer uma base em outro país. O programa proporciona aos empreendedores capacitação e mentoria personalizada de acordo com a oportunidade e interesse da empresa com o mercado alvo; participação em missão com agenda voltada à prospecção de clientes e investidores e ainda um apoio pós-missão para definição de estratégia de internacionalização e/ou softlanding no mercado-alvo.

O programa é destinado a startups brasileiras já estabelecidas, que já tenham faturamento e que tenham uma equipe 100% dedicada ao negócio, fluência em inglês (a fluência no idioma do país de destino é desejável, mas não essencial) e que demonstrem capacidade de se expandir internacionalmente sem comprometer suas operações no país.

As startups são avaliadas levando em consideração o grau de inovação, mapeamento preciso do ecossistema que ela está interessada e maturidade da empresa e equipe.

Fonte: Apex-Brasil