Photo: Pxhere

This new uniform process applies to both larger established companies and innovative foreign start-ups from outside the EU

It will be easier for companies outside the Netherlands to apply for a bank account with a Dutch bank. This is due to an initiative of ING, ABN Amro and Rabobank, together with the Dutch Banking Association (NVB) and a number of public parties.

Starting 20 May 2019, entrepreneurs outside the Netherlands can apply for a Dutch bank account using the ‘Quick Scan Dutch Business Bank Account’. Based on the information which a company must provide, the bank will be able to assess whether a bank account is feasible. As a result, the company will know where it stands more quickly. If the assessment is positive, the bank will then commence its usual customer due diligence procedure.

With this service, the banks, the NVB, the government and various other parties involved, hope to improve the attractiveness of the Netherlands as a business location without raising unrealistic expectations or infringing on banking regulations.

“The banks want to contribute to the ambition of ‘The Netherlands Incorporated’ to attract foreign businesses,” says Chris Buijink, chair of the Dutch Banking Association. “Being able to arrange your banking affairs quickly and efficiently is an important precondition for an attractive business location.”

In coming months, the new methodology will be tested in practice. Other banks will be able to join at a later stage if they so wish.

Contributing to ease of setting up business

Cooperation makes the Netherlands more attractive for any kind of business. Entrepreneurs can only do business in the Netherlands with an IBAN account opened in a country belonging to the Single European Payment Area (SEPA). Larger internationally operating companies usually already have such a bank account. But this is not the case for companies such as start-ups looking to establish themselves in the Netherlands. When foreign companies come to the Netherlands, they mostly start small and then expand later on through further investment. In recent years, it has become evident that Dutch banks have been cautious with respect to opening bank accounts for these commercial customers as a result of American and European integrity regulations. The parties involved are now addressing this issue together to make the Netherlands even more attractive as a business location.

Jeroen Nijland, Commissioner of the Netherlands Foreign Investment Agency (NFIA), the agency of the Ministry of Economic Affairs and Climate Policy engaged in attracting foreign investors to the Netherlands: “If we want to continue to benefit from being an international economy, it is important that foreign businesses can make a good start and get on with doing business from the Netherlands without delay. So this cooperation is important for all of us. For our future economic growth and employment, and also for the attractiveness of the Netherlands as a business location.”

Source: Dutch Banking Association

Processo para abertura de conta bancária holandesa é simplificado para empresas estrangeiras

Este novo processo aplica-se tanto às grandes empresas como às startups estrangeiras inovadoras de fora da UE

Será mais fácil para empresas fora dos Países Baixos realizar a abertura de uma conta bancária em um banco holandês. Isto deve-se a uma iniciativa do ING, do ABN Amro e do Rabobank, em conjunto com a Dutch Banking Association (NVB) e várias entidades públicas.

A partir de 20 de maio de 2019, os empresários de fora da Holanda podem solicitar uma conta bancária holandesa usando o “Quick Scan Dutch Business Bank Account“. Com base nas informações fornecidas pelas empresas, o banco poderá avaliar a elegibilidade para uma conta bancária. Como resultado, a empresa ficará informada sobre o estado do pedido mais rapidamente. Se a avaliação for positiva, o banco iniciará o procedimento habitual de due diligence do cliente.

Com este serviço, os bancos, o NVB, o governo e várias outras partes envolvidas esperam aumentar a atratividade dos Países Baixos como um local de negócios sem criar expectativas irreais ou infringir regulamentações bancárias.

“Os bancos querem contribuir para a ambição da ‘The Netherlands Incorporated’ – apelido dado à gestão do país, que se assemelha ao de uma empresa – para atrair negócios estrangeiros”, diz Chris Buijink, presidente da Dutch Banking Association. “Ser capaz de organizar seus negócios bancários com rapidez e eficiência é uma pré-condição importante para um local de negócios atraente.”

Nos próximos meses, a nova metodologia será testada na prática. Outros bancos poderão se juntar em um estágio posterior, se assim o desejarem.

Contribuindo para facilitar a criação de negócios

A cooperação torna a Holanda mais atraente para qualquer tipo de negócio. Os empresários só podem fazer negócios na Holanda com uma conta IBAN aberta em um país pertencente à Área Única de Pagamento Europeu (SEPA). As grandes empresas que operam internacionalmente geralmente já possuem essa conta bancária. Mas esse não é o caso de empresas como as start-ups que querem se estabelecer na Holanda. Quando as empresas estrangeiras vêm para a Holanda, elas geralmente começam pequenas e depois expandem mais tarde por meio de novos investimentos. Nos últimos anos, tornou-se evidente que os bancos holandeses têm sido cautelosos com relação à abertura de contas bancárias para esses clientes comerciais, como resultado das regulamentações de integridade americanas e europeias. As partes envolvidas estão agora abordando esta questão em conjunto para tornar a Holanda ainda mais atraente como um local de negócios.

Jeroen Nijland, comissário da Agência de Investimentos Estrangeiros da Holanda (NFIA), a agência do Ministério de Assuntos Econômicos e Políticas Climáticas empenhada em atrair investidores estrangeiros para a Holanda: “Se quisermos continuar a nos beneficiar de ser uma economia internacional, é importante que as empresas estrangeiras possam começar a fazer negócios com a Holanda de maneira positiva e sem atrasos. Então essa cooperação é importante para todos nós. Para o nosso futuro crescimento econômico e emprego, e também para a atratividade da Holanda como um local de negócios”.

Fonte: Dutch Banking Association