Photo: Pxhere

The Brazilian Institute of Industrial Property (INPI) signed earlier this month with the Danish Patent and Trademark Office Brazil’s accession to an international platform – the IP Marketplace – which allows the purchase and sale of trademarks or patents and contracts for use of brands digitally.

The agreement was made during the opening of the 11th Academic Meeting on Intellectual Property, Innovation and Development (ENAPID) in Rio de Janeiro.

Inpi’s president, Claudio Vilar Furtado, told Agência Brasil that all the world’s authorities in charge of granting patents and registration of trademarks and other industrial property assets, such as computer programs and geographical indications, are entities that have the power to delegated by the state to confer so-called property rights.

These rights allow those who receive them, in this case an inventor, company, university, to enjoy the economic benefits of exploiting these rights for a number of years.

The IP Marketplace is also a collaborative platform for inventors around the world, as they learn about innovations in their fields of expertise, can find researchers and cooperate in developing new intellectual properties, even as partners and co-owners.

Advance

“It’s a breakthrough. It is like transforming a real estate registry into a major broker of these properties, where business is done,” said Claudio Furtado.

He pointed out that business is not yet very frequent or in large volume, but that the platform will allow the increase. “The first thing for those who want to buy and sell is to know about the existence of a product. And through the digital platform, Brazilian brands and patents can be seen by other inventors who may be interested in the use of intellectual property.”

IP Marketplace is a website that showcases trademarks, patents, and industrial designs. It currently has 6,000 users from 157 countries. Participation is free and open to companies, universities and individuals.

Cláudio Furtado pointed out that scientists, companies and research institutes in Brazil will be able to access the platform directly, but it will be up to the INPI to provide access facilities. “If a business arises between them, INPI does not interfere. It will only register the trade, because it is the entity in Brazil that is able to provide access.”

Source: Agência Brasil

Inpi adere à plataforma internacional de compra de marcas e patentes

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) assinou no início do mês com o Escritório Dinamarquês de Patentes e Marcas a adesão do Brasil a uma plataforma internacional – o IP Marketplace – que permite negócios de compra e venda de marcas ou patentes e de contratos para uso de marcas por meio digital.

O acordo foi feito durante a abertura do 11º Encontro Acadêmico de Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento (ENAPID), no Rio de Janeiro.

O presidente do Inpi, Cláudio Vilar Furtado, disse à Agência Brasil que todas as autoridades mundiais incumbidas de concessão de patentes e registro de marcas e de outros ativos de propriedade industrial, como programas de computador (softwares) e indicações geográficas são entidades que têm poder delegado pelo Estado para conferir os chamados direitos de propriedade.

Esses direitos permitem que quem os recebe, no caso um inventor, empresa, universidade, possa usufruir dos benefícios econômicos da exploração desses direitos por um determinado número de anos.

O IP Marketplace é também uma plataforma de colaboração para que inventores do mundo inteiro, ao se inteirarem de inovações em suas áreas de conhecimento, podem encontrar pesquisadores e cooperar no desenvolvimento de novas propriedades intelectuais, até mesmo como parceiros e coproprietários.

Avanço

“É um grande avanço. É como transformar um cartório de imóveis em uma grande corretora desses imóveis, onde se fazem os negócios”, afirmou Cláudio Furtado.

Ele destacou que os negócios ainda não são muito frequentes nem em grande volume, mas que a plataforma vai permitir o aumento. “A primeira coisa para quem quer comprar e vender é saber da existência de um produto. E por meio da plataforma digital, marcas e patentes brasileiras podem ser vistas por outros inventores que poderão ter interesse no uso da propriedade intelectual.”

O IP Marketplace é um site que funciona como vitrine de marcas, patentes e desenhos industriais. Atualmente, nele estão registrados 6 mil usuários de 157 países. A participação é gratuita e está aberta a empresas, universidades e pessoas físicas.

Cláudio Furtado destacou que cientistas, empresas e institutos de pesquisa do Brasil poderão acessar diretamente a plataforma, mas caberá ao INPI dar as facilidades de acesso. “Se surgir um negócio entre eles, o INPI não interfere. Apenas fará o registro da negociação, porque é a entidade no Brasil que está habilitada a prover o acesso.”

Fonte: Agência Brasil