Photo: Marcelo Camargo/Agência Brasil

The Minister of Agriculture, Livestock and Supply, Tereza Cristina, presented, on Monday (18) in Washington, United States (USA), her strategic agenda for the coming years, based on three challenges: land governance, technological innovation and sanitary quality. For her, these are fundamental issues for sustainable production. She recalled that Brazil has strict environmental legislation.

During a World Bank event, Tereza Cristina presented the Brazilian experience with low carbon agriculture, from the ABC Cerrado project. According to her, the idea is to take the same proposal to other regions of Brazil. The project, developed jointly with the National Rural Learning Service (Senar) and the Brazilian Agricultural Research Corporation (Embrapa), received funds from the Forest Investment Fund (FIP) and served 7.8 thousand farmers in eight states.

According to Senar, the project contributed to increased productivity in the properties served, such as beef cattle, which rose from 0.7 units / animal per hectare to 2.5. Animal weight gain from pasture renewal also increased from 400 to 900 grams / day. In addition, the producer has invested in low carbon technologies. For every R $ 1 spent by ABC Cerrado, the producer invested R $ 7 in recovery and R $ 5 in pasture maintenance and management.

For Daniel Carrara, Senar’s managing director, presenting the ABC Cerrado project after five years of training is an opportunity to take more resources to scale up similar initiatives.

Other projects

Speaking at the World Bank, Tereza Cristina said she would seek support from the World Bank and the Inter-American Development Bank (IDB) for the development of the AgroNordeste program, an action plan to boost economic development. The program will be implemented by next year in 230 municipalities in the nine states of the Northeast and part of Minas Gerais, divided into 12 territories, with rural population of 1.7 million people. “We will deal with issues that involve social, productive and environmental issues with this Agronordeste project.”

The minister said that in the meetings with the World Bank and the IDB will deal with a project similar to AgroNordeste for the North Region and that the focus will be land regularization. “The foundation for bringing prosperity, projects that can put people into productive life with dignity have to start with the first pillar, which is land regularization,” he said.

Brazilian meat

In the coming years, Tereza Cristina stressed that one of the biggest challenges is to put the small farmer in the productive zone. “Today there is a big difference between commercial agriculture and small agriculture, so that’s a big concern for us at the head of the ministry.”

The minister’s agenda includes meeting with US Secretary of Agriculture Sonny Perdue. Among the topics to be addressed is the suspension of imports of Brazilian fresh beef by the country. According to the ministry, the idea is to clarify the Americans’ questions without the need for a new technical mission to Brazil. Another issue discussed during the trip is the opening of the wheat market and the cooperation between AG-5 countries (United States, Brazil, Canada, Argentina and Mexico).

Source: Agência Brasil

Ministra mostra experiência do Brasil com agricultura de baixo carbono

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, apresentou, nessa segunda-feira (18) em Washington, nos Estados Unidos (EUA), sua agenda estratégica para os próximos anos, baseada em três desafios: governança fundiária, inovação tecnológica e qualidade sanitária. Para ela, essas são questões fundamentais para a produção sustentável. Ela lembrou que o Brasil conta com legislação ambiental exigente.

Durante evento do Banco Mundial, Tereza Cristina apresentou a experiência brasileira com a agricultura de baixo carbono, do projeto ABC Cerrado. Segundo ela, a ideia é levar a mesma proposta a outras regiões do Brasil. O projeto, desenvolvido em conjunto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), recebeu recursos do Fundo de Investimento Florestal (FIP) e atendeu a 7,8 mil produtores rurais em oito estados.

De acordo com o Senar, o projeto contribuiu para o aumento da produtividade nas propriedades atendidas, como a pecuária de corte, que subiu de 0,7 unidade/animal por hectare para 2,5. O ganho de peso dos animais com a renovação da pastagem também aumentou, passando de 400 para 900 gramas/dia. Além disso, o produtor investiu nas tecnologias de baixa emissão de carbono. A cada R$ 1 gasto pelo ABC Cerrado, o produtor investiu R$ 7 em recuperação e R$ 5 em manutenção e manejo da pastagem.

Para Daniel Carrara, diretor-geral do Senar, apresentar o projeto ABC Cerrado depois de cinco anos de capacitação é uma oportunidade de levar mais recursos para ampliar iniciativas semelhantes.

Outros projetos

Durante o discurso no Banco Mundial, Tereza Cristina afirmou que vai buscar apoio do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o desenvolvimento do programa AgroNordeste, um plano de ação para impulsionar o desenvolvimento econômico. O programa e será implantado até o ano que vem em 230 municípios dos nove estados do Nordeste e parte de Minas Gerais, divididos em 12 territórios, com população rural de 1,7 milhão de pessoas. “Vamos tratar de temas que envolvem questões sociais, produtivas e ambientais junto a esse projeto Agronordeste”.

A ministra informou que nos encontros com o Banco Mundial e o BID vai tratar de um projeto semelhante ao AgroNordeste para a Região Norte e que o foco será a regularização fundiária. “A base para levar prosperidade, os projetos que possam colocar as pessoas na vida produtiva com dignidade têm que começar com o primeiro pilar, que é a regularização fundiária”, afirmou.

Carne brasileira

Nos próximos anos, Tereza Cristina ressaltou que um dos grandes desafios é colocar o pequeno agricultor na zona produtiva. “Hoje existe uma diferença muito grande entre a agricultura comercial e a pequena agricultura, então essa é uma grande preocupação nossa à frente do ministério”.

A agenda da ministra inclui encontro com o secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue. Entre os temas a serem tratados está a suspensão das importações de carne bovina brasileira in natura pelo país. Segundo o ministério, a ideia é esclarecer os questionamentos dos americanos sem a necessidade de nova missão técnica ao Brasil. Outro assunto debatido na viagem é a abertura do mercado para o trigo e a cooperação entre os países do AG-5 (Estados Unidos, Brasil, Canadá, Argentina e México).

Fonte: Agência Brasil