Photo: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Future Forum proposes research on biome use limits

The Future Forum gathers this week, in Brasilia, a group of academics, formulators, public and private managers in order to debate proposals for the sustainable development of agriculture in the country, at the Food and Society Seminar. The institute is chaired by former Minister of Agriculture Alysson Paulinelli, one of those responsible for the modernization process of the Brazilian Agricultural Research Corporation (Embrapa) in the 1970s. In an interview with Agência Brasil, Paulinelli defended a broad study of Brazilian biomes to set limits for present and future use.

“This effort is to make Brazil know its biomes, their limits of use, to define well what can and should not be used, which technology ensures the maintenance of natural resources and, logically, its ecological stability. Who comes first is science and technology,” he says.

The event is free to attend and will be held on Wednesday (27) and Thursday (28) at the Inter-American Institute for Cooperation on Agriculture (IICA), in the federal capital. The presence of former ministers, as well as representatives of Embrapa, public universities and the business sector is expected. Minister Tereza Cristina (Agriculture) is one of the expected attendance for the opening panel. The event’s schedule foresees debates on issues such as agri-food research, the use of pesticides, biological control, water, food waste, biotechnology, among others.

One of the highlights of the seminar is the presentation of results of the Tropical Biomes pilot project, developed by the Future Forum, to analyze possibilities and limits of use of natural resources. The first stage was concluded from a research in the cerrado and the institute intends to partner with public and private entities to expand the research to other Brazilian biomes.

“When we thought about doing this study, it was thinking about doing it in a network, through co-working, bringing scientists, and working on this focus of using a natural resource knowing its limits and, especially, the technologies that allow you to move this guaranteed resource,” says Paulinelli.

The full schedule of the Food and Society Seminar is available at the Future Forum website.

Tecnologia e ciência devem pautar agricultura, diz ex-ministro

Fórum do Futuro propõe pesquisa sobre limites de uso de biomas

O Instituto Fórum do Futuro reúne nesta semana, em Brasília, um grupo de acadêmicos, formuladores, gestores públicos e privados com o objetivo de debater propostas para o desenvolvimento sustentável da agricultura no país, no Seminário Alimento e Sociedade. O instituto é presidido pelo ex-ministro da Agricultura Alysson Paulinelli, um dos responsáveis pelo processo de modernização da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) na década de 1970. Em entrevista à Agência Brasil, Paulinelli defendeu amplo estudo dos biomas brasileiros para nortear limites de uso no presente e no futuro.

“Esse esforço é no sentido de fazer com que o Brasil conheça os seus biomas, os seus limites de uso, para definir bem o que pode e o que não deve ser usado, qual a tecnologia que garante a manutenção dos recursos naturais e, logicamente, a sua estabilidade ecológica. Quem vem primeiro é a ciência e tecnologia”, afirma.

O evento é de participação gratuita e será realizado nesta quarta (27) e quinta-feira (28), no Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), na capital federal. Está prevista a presença de ex-ministros, além de representantes da Embrapa, de universidades públicas e do setor empresarial. A ministra Tereza Cristina (Agricultura) é uma das presenças aguardadas para o painel de abertura. A programação do evento prevê debates sobre questões como a pesquisa agroalimentar, o uso de agrotóxicos, controle biológico, a água, p desperdício de alimentos, a biotecnologia, entre outros.

Um dos destaques do seminário é a apresentação de resultados do projeto-piloto Biomas Tropicais, desenvolvido pelo Fórum do Futuro, para analisar possibilidades e limites de uso dos recursos naturais. A primeira etapa foi concluída a partir de uma pesquisa no cerrado e o instututo pretende fazer parceria com entes públicos e privados para expandir a pesquisa aos demais biomas brasileiros.

“Quando pensamos em fazer esse estudo, foi pensando em fazê-lo em rede, por meio de co-working, trazendo cientistas, e trabalhar nesse foco de usar um recurso natural conhecendo seus limites e, principalmente, as tecnologias que te permitem mexer nesse recurso com garantia de sustentabilidade”, afirma Paulinelli.

A programação completa do Seminário Alimento e Sociedade está disponível no site do Fórum do Futuro .