Photo: Pixabay

‘Hive’ on Wageningen campus will address major global food system challenges

His Majesty the King of the Netherlands on 6 December opened Unilever’s new global Foods Innovation Center on the campus of Wageningen University, the leading global agri-food research hub.

Unilever has invested €85 million in the new center, named ‘Hive’ for its location amidst leading academic research centers, start-ups and external partners. From Hive, Unilever will lead its global Foods innovation programs for brands like Knorr, Hellmann’s, The Vegetarian Butcher and Calvė. Areas of research will include: plant-based ingredients and meat alternatives, efficient crops, sustainable food packaging and nutritious foods.

Healthy and sustainable food ecosystem

Together with its partners, Unilever aims to transform the food industry into a healthy and sustainable system, driving innovations that are healthier for people and for the planet.

Alan Jope, Unilever CEO, said: “We need a fundamental transformation of the food system if we are to feed more than 9 billion people sustainably and nutritiously. Malnutrition, obesity, climate change and food waste are issues that can only be addressed if we work in partnership to accelerate technology and innovation. Having a global research and development center in Wageningen will enable us to do exactly this.”

Triple helix approach to food innovation

Louise Fresco, chairman of the Executive Board of Wageningen University and Research (WUR), speaks of a paradigm shift that is needed to tackle the food challenges facing the world. According to her, Hive shows that the shift is in full swing. “The academic world is looking for an approach to the private sector and vice versa. Making an impact is paramount. Science uses public money, so it has to make a difference. It’s then up to companies to take action.”

The government is also part of the Dutch agri/food ecosystem, explained Maarten Camps, Secretary General of the Ministry of Economic Affairs and Climate Policy, expressing pride that Unilever has established its R&D headquarters in the Netherlands.

“Research helps the Netherlands to make sustainable production and climate-neutral agriculture possible. Companies must then translate this into commercial innovations. The government helps with financing.”

Food Valley

The Wageningen area in the Netherlands is often called “Food Valley” – a nod to Silicon Valley – in recognition of the breakthroughs in agri-food tech being generated by start-ups, science institutes, NGOs and companies located in the area.

Source: NFIA

Inaugurado novo Centro de Inovação Alimentar na Holanda

‘Hive’ no campus de Wageningen abordará os principais desafios do sistema alimentar global

Sua Majestade o Rei da Holanda abriu no dia 6 de dezembro o novo Centro Global de Inovação em Alimentos da Unilever, no campus da Universidade de Wageningen, o principal centro global de pesquisa agro-alimentar.

A Unilever investiu 85 milhões de euros no novo centro, chamado ‘Hive‘ (colméia) por sua localização entre os principais centros de pesquisa acadêmica, start-ups e parceiros externos. A partir da Hive, a Unilever liderará seus programas globais de inovação em alimentos para marcas como Knorr, Hellmann’s, The Vegetarian Butcher e Calvė. As áreas de pesquisa incluirão: ingredientes à base de plantas e alternativas à carne, culturas eficientes, embalagens sustentáveis ​​de alimentos e alimentos nutritivos.

Ecossistema alimentar saudável e sustentável

Juntamente com seus parceiros, a Unilever visa transformar a indústria de alimentos em um sistema saudável e sustentável, impulsionando inovações mais saudáveis ​​para as pessoas e para o planeta.

Alan Jope, CEO da Unilever, disse: “Precisamos de uma transformação fundamental do sistema alimentar para alimentar mais de 9 bilhões de pessoas de maneira sustentável e nutritiva. Desnutrição, obesidade, mudança climática e desperdício de alimentos são questões que só podem ser abordadas se trabalharmos em parceria para acelerar a tecnologia e a inovação. Ter um centro global de pesquisa e desenvolvimento em Wageningen nos permitirá fazer exatamente isso.”

Abordagem em hélice tripla para inovação em alimentos

Louise Fresco, presidente do Conselho Executivo da Universidade de Wageningen e Pesquisa (WUR), fala de uma mudança de paradigma necessária para enfrentar os desafios alimentares que o mundo enfrenta. Segundo ela, o Hive mostra que a mudança está em pleno andamento. “O mundo acadêmico está procurando uma abordagem para o setor privado e vice-versa. Causar um impacto é fundamental. A ciência usa dinheiro público, por isso tem que fazer a diferença. Cabe às empresas tomar medidas.”

O governo também faz parte do ecossistema agro-alimentar holandês, explicou Maarten Camps, Secretário Geral do Ministério de Assuntos Econômicos e Política do Clima, expressando orgulho por a Unilever ter estabelecido sua sede de pesquisa e desenvolvimento na Holanda.

“A pesquisa ajuda a Holanda a viabilizar a produção sustentável e a agricultura neutra em termos climáticos. As empresas devem então traduzir isso em inovações comerciais. O governo ajuda no financiamento.”

Vale do Alimento

A área de Wageningen, na Holanda, costuma ser chamada de “Food Valley” – uma referência ao Vale do Silício – em reconhecimento aos avanços na tecnologia agroalimentar gerados por empresas iniciantes, institutos científicos, ONGs e empresas localizadas na área.

Fonte: NFIA