Photo: Elza Fiúza/Agência Brasil

Highlight was in the trade of corn, meat and cotton

Brazilian agribusiness exports totaled US$96.8 billion last year. This represents 43.2% of the total exported by Brazil, according to the Secretariat of Trade and International Relations of the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply. The data show slight growth of the sector in the total exports of the country. In 2018, this share had been 42.3%.

The highlight was the trade of corn, meat and cotton. Corn registered a record export volume, with 43.25 million tons. The previous record was set in 2017, with 29.25 million tons of cereal exported.

Also according to the ministry, China has become the main customer of Brazilian beef. The Asian country is responsible for 26.8% of the total exported volume. As a result, it surpassed Hong Kong, which is now with 18.6%.

Corn

Corn production in the 2018/2019 crop was also record, totaling 100 million tons, generating a corn export surplus of almost 20 million tons in relation to the amount exported in 2018.

On the other hand, soybeans had a reduction of almost 10 million tons in shipments, a decrease that was partially offset by sales of meat (beef, pork and chicken), corn and cotton.

Meat

Foreign sales of meat increased from US$ 14.68 billion in 2018 to US$ 16.52 billion in 2019, up 12.5%. The impact of African swine fever in several countries, especially the Chinese herd, has helped to increase Brazilian meat exports.

Beef was the main meat exported by Brazil, with US $ 7.57 billion in foreign sales in 2019 (+ 15.6%). This value is a record for the entire historical series. The export volume of beef was also record, reaching 1.85 million tons.

Cotton

The highlight of the textile sector was the increase in sales of cotton, which rose from US$1.69 billion in 2018 to US$2.64 billion in 2019 (+ 56.5%).

Source: Agência Brasil

Agronegócio brasileiro exportou US$ 96,8 bilhões em 2019

Destaque foi no comércio de milho, carnes e algodão

As exportações do setor do agronegócio somaram US$ 96,8 bilhões no ano passado. Esse valor representa 43,2% do total exportado pelo Brasil, segundo a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Os dados mostram leve crescimento do setor nas exportações totais do país. Em 2018, essa participação havia sido de 42,3%.

O destaque foi o comércio de milho, carnes e algodão. O milho registrou volume recorde de exportação, com 43,25 milhões de toneladas. O recorde anterior foi registrado em 2017, com 29,25 milhões de toneladas do cereal exportadas.

Ainda de acordo com o ministério, a China se tornou o principal cliente da carne bovina brasileira. O país asiático é responsável por 26,8% do volume total exportado. Com isso, ultrapassou Hong Kong, que ficou na segundo posição, com 18,6%.

Milho

A produção de milho na safra 2018/2019 também foi recorde, somando 100 milhões de toneladas, gerando um excedente exportável de milho de praticamente 20 milhões de toneladas em relação à quantidade exportada em 2018.

Já a soja teve redução de quase 10 milhões de toneladas nos embarques, queda que foi compensada em parte pelas vendas de carnes (bovina, suína e de frango), milho e algodão.

Carnes

As vendas externas das carnes passaram de US$ 14,68 bilhões em 2018 para US$ 16,52 bilhões em 2019, alta de 12,5%. O impacto da peste suína africana em diversos países, principalmente no rebanho chinês, ajudou no incremento das exportações brasileiras de carnes.

A carne bovina foi a principal carne exportada pelo Brasil, com US$ 7,57 bilhões em vendas externas no ano de 2019 (+15,6%). Este valor é recorde para toda a série histórica. O volume exportado de carne bovina também foi recorde, atingindo 1,85 milhão de toneladas.

Algodão

O destaque do setor de fibras e produtos têxteis foi para o aumento das vendas de algodão não cardado nem penteado, que subiram de US$ 1,69 bilhão em 2018 para US$ 2,64 bilhões em 2019 (+56,5%).

Fonte: Agência Brasil