Photo: Pxhere

Privatizations made the country climb two positions in the ranking

With the help of the privatization program for federal companies, Brazil rose from the sixth to the fourth position among the main foreign investment destinations in the world in 2019. According to a report released yesterday (20th) by the United Nations Conference on Trade and Development (Unctad), Brazil received U $ 75 billion in foreign investments last year, against US$ 60 billion in 2018.

The top three in the investment destination ranking went to the United States, with US$ 251 billion last year; China, with US$ 140 billion, and Singapore, with US$ 110 billion. The US$ 75 billion that arrived in Brazil is equivalent to more than half of the US$ 119 billion that South America received last year.

According to the report, part of the increase in foreign investments in Brazil occurred, in part, because of the privatization program, which focused on the sale of state-owned subsidiaries and government shareholdings in private companies.

“Brazil registered an increase of 26%, to US$ 75 billion, partially driven by the privatization program launched in July as part of the administration’s efforts to accelerate the economy. The first of these privatizations involved a gas distribution company – Transportadora Associada de Gás – bought by a consortium of investors led by the French company Engie for almost US$ 8.7 billion”, highlighted the survey.

For this year, the report says that the country should continue to receive foreign investments because of the continuation of the privatization program. “In 2020, divestments in subsidiaries of state-owned companies are expected to gain strength; the privatization of large companies such as Eletrobras, the largest electric company in Latin America, and Telebras are likely to attract much more foreign direct investment,” adds the document.

In addition to privatizations, the report cites projects related to the environment as factors that will help boost foreign investment in Brazil this year. “Preliminary data on investments in the green area announced in the country corroborate this perspective, with the value of the projects more than doubling, in comparison with 2018, especially in renewable energy and in the automotive industry”, points out Unctad.

Source: Agência Brasil

Brasil passou para quarto destino de investimentos no mundo em 2019

Privatizações fizeram país subir duas posições em ranking

Com a ajuda do programa de privatização de empresas federais, o Brasil subiu da sexta para a quarta posição entre os principais destinos de investimentos estrangeiros no mundo em 2019. Segundo relatório divulgado ontem (20) pela Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad), o Brasil recebeu US$ 75 bilhões em investimentos externos no ano passado, contra US$ 60 bilhões em 2018.

Os três primeiros lugares do ranking de destino de investimentos ficaram com os Estados Unidos, com US$ 251 bilhões no ano passado; a China, com US$ 140 bilhões, e Cingapura, com US$ 110 bilhões. Os US$ 75 bilhões que chegaram ao Brasil equivalem a mais da metade dos US$ 119 bilhões que a América do Sul recebeu no ano passado.

Segundo o relatório, parte da alta dos investimentos externos no Brasil ocorreu, em parte, por causa do programa de privatizações, que se concentrou na venda de subsidiárias de estatais e de participações acionárias do governo em empresas privadas.

“O Brasil registrou aumento de 26%, para US$ 75 bilhões, parcialmente impulsionado pelo programa de privatizações lançado em julho como parte dos esforços da administração para acelerar a economia. A primeira dessas privatizações envolveu uma companhia de distribuição de gás – Transportadora Associada de Gás – comprada por um consórcio de investidores liderado pela francesa Engie por quase US$ 8,7 bilhões”, destacou o levantamento.

Para este ano, o relatório diz que o país deverá continuar a receber investimentos externos por causa da continuidade do programa de privatizações. “Em 2020, os desinvestimentos em subsidiárias de companhias estatais deverão ganhar força; a privatização de grandes companhias como a Eletrobras, a maior empresa elétrica da América Latina, e da Telebras devem provavelmente atrair muito mais investimentos estrangeiros diretos”, acrescenta o documento.

Além das privatizações, o relatório cita os projetos relacionados ao meio ambiente como fatores que ajudarão a elevar os investimentos estrangeiros no Brasil neste ano. “Dados preliminares sobre os investimentos na área verde anunciados no país corroboram essa perspectiva, com o valor dos projetos mais que dobrando, na comparação com 2018, especialmente na energia renovável e na indústria automotiva”, ressalta a Unctad.

Fonte: Agência Brasil