Photo: Pixabay

Industrial Survey shows that businessmen remain optimistic and expect an increase in demand, exports, the purchase of raw materials and employment in the next six months.

The Brazilian industry started 2020 with the activity more heated than in the same month of the last four years. Installed capacity utilization reached 67% in January. “The percentage is equal to that recorded in January 2015 and exceeds all others observed in the same month of subsequent years (2016 to 2019). On the other hand, the percentage is lower than that recorded in January of years prior to the recent crisis, between 2011 and 2014 (70% on average)”, informs the Industrial Survey, released last Thursday (20) by the Confederation National Industry Association (CNI).

The production and employment evolution indexes were stable in relation to December, both very close to 50 points. The production indicator was 49.9 points in January. “Usually, the index is below the dividing line in January, that is, it shows a drop in production in comparison with December of the previous year”, analyzes the research.

“Taken together, the information from the January industrial survey suggests a better activity than that registered in the months of January of the last four years. ADDITIONALLY, THERE IS THE EXPECTATION THAT PRODUCTION WILL INCREASE IN THE NEXT MONTHS, ONCE THERE IS THE NEED TO RECOMPOSE THE STOCKS”, affirms the CNI economist MARCELO AZEVEDO.

In large companies, the two indicators were above 50 points. Considering only large companies, the production index was 52.5 points and the employment index, 51 points. The survey indicators range from zero to one hundred points. When they are above 50 points, they show an increase in production and employment.

The index of evolution of the level of inventories in the industry in relation to what was planned was 49.1 points in January. It was the third consecutive month in which the indicator was below the 50-point dividing line, showing that inventories are lower than planned by businessmen.

Industrial sector expectations and investments

Entrepreneurs maintain optimism. All expectations indicators remain above 50 points. This indicates that industrialists expect an increase in demand, exports, the purchase of raw materials and the number of employees in the next six months.

The investment intention dropped 0.5 point in relation to January and was 58.7 points this month. Despite the fall, which interrupts a sequence of four consecutive highs, the index remains at a high level. “Except for the January figure, the index is the highest since February 2014, when it reached 59.5 points”, says the survey.

This edition of the Industrial Survey was carried out between February 3 and 12 with 1,915 companies. Of these, 763 are small, 673 are medium and 479 are large.

Source: CNI

Brasil: Atividade da indústria em janeiro foi melhor do que em anos anteriores

Sondagem Industrial mostra que os empresários continuam otimistas e esperam aumento da demanda, das exportações, da compra de matérias-primas e do emprego nos próximos seis meses.

A indústria brasileira começou 2020 com a atividade mais aquecida do que no mesmo mês dos últimos quatro anos. A utilização da capacidade instalada alcançou 67% no mês em janeiro. “O percentual se iguala ao registrado em janeiro de 2015 e supera todos os outros observados no mesmo mês dos anos subsequentes (2016 a 2019).

Por outro lado, o percentual é inferior ao registrado em meses de janeiro de anos anteriores à recente crise, entre 2011 e 2014 (70% em média)”, informa a Sondagem Industrial, divulgada na quinta-feira passada (20), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os índices de evolução da produção e de emprego ficaram estáveis em relação a dezembro, ambos muito próximos dos 50 pontos. O indicador de produção ficou em 49,9 pontos em janeiro. “Usualmente, o índice fica abaixo da linha divisória em janeiro, ou seja, mostra queda da produção na comparação com dezembro do ano anterior”, analisa a pesquisa.

“Tomadas em conjunto, as informações da Sondagem Industrial de janeiro sugerem uma atividade melhor do que a registrada nos meses de janeiro dos últimos quatro anos. Adicionalmente, há a expectativa que a produção aumente nos próximos meses, uma vez que há a necessidade de recomposição dos estoques”, afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo.

Nas grandes empresas, os dois indicadores ficaram acima dos 50 pontos. Considerando somente empresas de grande porte, o índice de produção ficou em 52,5 pontos e, o de emprego, em 51 pontos. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem pontos. Quando estão acima de 50 pontos mostram aumento da produção e do emprego.

O índice de evolução do nível de estoques da indústria em relação ao planejado ficou em 49,1 pontos em janeiro. Foi o terceiro mês consecutivo em que o indicador ficou abaixo da linha divisória dos 50 pontos, mostrando que os estoques estão inferiores ao planejado pelos empresários.

Expectativas e investimentos do setor industrial

Os empresários mantêm o otimismo. Todos os indicadores de expectativas continuam acima dos 50 pontos. Isso indica que os industriais esperam o aumento da demanda, das exportações, da compra de matérias-primas e do número de empregados nos próximos seis meses.

A intenção de investimentos recuou 0,5 ponto em relação a janeiro e ficou em 58,7 pontos neste mês. Apesar da queda, que interrompe uma sequência de quatro altas consecutivas, o índice permanece em patamar elevado. “Excetuando-se o valor de janeiro, o índice é o maior desde fevereiro de 2014, quando alcançou 59,5 pontos”, diz a pesquisa.

Esta edição da Sondagem Industrial foi feita entre 3 e 12 de fevereiro com 1.915 empresas. Dessas, 763 são pequenas, 673 são médias e 479 são de grande porte.

Fonte: CNI