Photo: Pexels

According to the CBS Business Cycle Tracer, the economic situation in mid-May is one of rapid deterioration. The economy has entered a business cycle low. Statistics Netherlands (CBS) reports that twelve of the thirteen indicators in the Tracer as published mid-May are performing below the level of their long-term trend. Measures that were implemented to curb the COVID-19 pandemic have severely affected many indicators, beginning in the reporting month of March.

The CBS Business Cycle Tracer is a tool used to monitor the situation and development of the Dutch business cycle. It uses thirteen key macro-economic indicators. Together, these provide a coherent macro-economic picture which is based on CBS figures published over the past month or quarter. This is a macroeconomic outlook which does not apply equally to all households, businesses or regions.

More investments, exports stable, lower household consumption

In Q1 2020, the volume of investments in fixed assets was 0.9 percent up on the same quarter last year. Investments in infrastructure, office buildings and machinery grew in particular. However, investments in transport equipment such as passenger cars, lorries and semi-trailers declined.

Exports of goods and services were at the same level as in Q1 2019. In the previous quarter, exports still grew by 3.2 percent. Exports of chemical products, electrotechnical machinery and appliances were up in the first quarter of this year, while exports of transport equipment and natural gas declined year-on-year.

In Q1 2020, Dutch consumers spent 1.3 percent less than one year previously. It was the first decline in six years’ time. In March, household consumption fell by as much as 6.7 percent (adjusted for shopping days), after two consecutive months of growth. In Q1, consumers mainly spent less on services (accommodation and food services, recreation and culture in particular) and clothing. They did spend more on food, however. In mid-March, cafés and restaurants were required to close their doors; shopping streets were almost empty. On the other hand, supermarkets recorded a higher turnover. 

Manufacturing output 2.5 percent down in March

In March 2020, the average daily output generated by the Dutch manufacturing industry was 2.5 percent down on the same month last year. Output showed a year-on-year decrease of 1.3 percent in the preceding month.

Figures over the reporting month of March only partly reflect the impact of the COVID-19 outbreak. Producer confidence in March was still recorded as positive, for example. 

More bankruptcies in April

The number of corporate bankruptcies, adjusted for court session days, has increased. There were 75 more bankruptcies in April than in the previous month. The trend has been slightly upward since September 2018.

The figures for the reporting month of April do not yet or barely reflect the effects of the coronavirus outbreak. Several weeks may pass between the date of filing for bankruptcy and the court decision. As of week 14, Dutch courts are granting a longer application period of at least four weeks in cases of a bankruptcy petition being made (i.e. by claimants), unless the procedures are deemed urgent. In addition, the Dutch government has established an emergency package for the economy and the job market in order to provide the proper support to Dutch businesses.

Number of jobs continues to grow

In Q1 2020, the number of full-time and part-time jobs held by employees and self-employed rose by 23 thousand to 10,773 thousand jobs. This is an increase of 0.2 percent relative to the previous quarter and the lowest increase since Q1 2016. Compared to Q1 2019, the number of jobs grew by 135 thousand, an increase of 1.3 percent. Figures include the jobs of those people who are unable to work due to the COVID-19 crisis but who still get paid.

At the end of March, the number of unfilled job vacancies stood at 226 thousand, down by over 60 thousand compared to the previous quarter. This is the first quarter-on-quarter decline in seven years and also the largest in absolute numbers ever measured.

Tension in the labour market has fallen slightly. In Q1 2020, there were on average 82 job vacancies per 100 unemployed. In Q4 2019, there were still 91 unfilled vacancies per 100 unemployed.
Unemployment (according to the ILO definition) fell by 39 thousand to 277 thousand in Q1. This means that 3.0 percent of the labour force were unemployed.

GDP contraction of 1.7 percent in Q1 2020

According to the first estimate of GDP conducted by CBS, gross domestic product (GDP) contracted by 1.7 percent in Q1 2020 relative to the previous quarter. The decline was mainly due to lower consumption by households. GDP declined by 0.5 percent relative to Q1 2019.

Source: Statistics Netherlands

Holanda: Economia entra em recessão

Segundo o CBS Business Cycle Tracer, a situação econômica em meados de maio é de rápida deterioração. A economia holandesa atingiu o ponto mais baixo de seu ciclo comercial. O Statistics Netherlands (CBS) relata que doze dos treze indicadores do estudo publicado em meados de maio estão apresentando desempenho abaixo do nível de sua tendência de longo prazo. As medidas implementadas para conter a pandemia do COVID-19 afetaram severamente muitos indicadores, a partir do mês de março.

O CBS Business Cycle Tracer é uma ferramenta usada para monitorar a situação e o desenvolvimento do ciclo comercial holandês. Utiliza treze indicadores macroeconômicos chave. Juntos, eles fornecem uma imagem macroeconômica coerente, baseada nos números da CBS publicados ao longo do mês ou trimestre passado. Essa é uma perspectiva macroeconômica que não se aplica igualmente a todos os lares, empresas ou regiões.

Mais investimentos, exportações estáveis, menor consumo das famílias

No primeiro trimestre de 2020, o volume de investimentos em ativos fixos aumentou 0,9% em relação ao mesmo trimestre do ano passado. Os investimentos em infraestrutura, edifícios de escritórios e máquinas cresceram em particular. No entanto, os investimentos em equipamentos de transporte, como automóveis, caminhões e semi-reboques, caíram.

As exportações de bens e serviços mantiveram o mesmo nível do primeiro trimestre de 2019. No trimestre anterior, as exportações ainda cresceram 3,2%. As exportações de produtos químicos, máquinas e aparelhos eletrotécnicos aumentaram no primeiro trimestre deste ano, enquanto as exportações de equipamentos de transporte e gás natural diminuíram na comparação anual.

No primeiro trimestre de 2020, os consumidores holandeses gastaram 1,3% menos em comparação ao mesmo período do ano anterior. Foi o primeiro declínio em seis anos. Em março, o consumo das famílias caiu 6,7% (ajustado para os dias de compras), após dois meses consecutivos de crescimento. No primeiro trimestre, os consumidores gastaram menos em serviços (acomodação e serviços de alimentação, recreação e cultura em particular) e roupas. Eles gastaram mais em comida, no entanto. Em meados de março, foram necessários cafés e restaurantes para fechar suas portas; ruas comerciais estavam quase vazias. Por outro lado, os supermercados registraram uma maior rotatividade.

Produção industrial 2,5% menor em março

Em março de 2020, a produção média diária gerada pela indústria holandesa caiu 2,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. A produção mostrou uma queda ano-a-ano de 1,3% no mês anterior.

Os números do mês de março deste relatório refletem apenas parcialmente o impacto do surto de COVID-19. A confiança do produtor em março ainda foi registrada como positiva, por exemplo.

Mais falências em abril

O número de falências corporativas, ajustado para dias de sessões judiciais, aumentou. Houve mais 75 falências em abril do que no mês anterior. A tendência tem sido levemente ascendente desde setembro de 2018.

Os números referentes ao mês de abril de relatório ainda não refletem ou mal refletem os efeitos do surto de coronavírus. Várias semanas podem passar entre a data do pedido de falência e a decisão do tribunal. A partir da semana 14, os tribunais holandeses concederam um período de solicitação mais longo de pelo menos quatro semanas nos casos em que uma petição de falência estivesse sendo feita (ou seja, pelos reclamantes), a menos que os procedimentos fossem considerados urgentes. Além disso, o governo holandês estabeleceu um pacote de emergência para a economia e o mercado de trabalho, a fim de fornecer o apoio adequado às empresas holandesas.

Número de empregos continua a crescer

No primeiro trimestre de 2020, o número de empregos em período integral e em regime de meio período ocupados por funcionários e autônomos aumentou em 23 mil, para 10.773 mil empregos. Isso representa um aumento de 0,2% em relação ao trimestre anterior e o menor aumento desde o primeiro trimestre de 2016. Em comparação ao primeiro trimestre de 2019, o número de empregos cresceu 135 mil, um aumento de 1,3%. Os números incluem os empregos das pessoas que não conseguem trabalhar devido à crise do COVID-19, mas que ainda são remuneradas.

No final de março, o número de vagas não preenchidas era de 226 mil, queda de mais de 60 mil em relação ao trimestre anterior. Este é o primeiro declínio trimestral em sete anos e também o maior em números absolutos já medidos.

A tensão no mercado de trabalho caiu um pouco. No primeiro trimestre de 2020, havia em média 82 vagas de emprego por 100 desempregados. No quarto trimestre de 2019, ainda havia 91 vagas não preenchidas por 100 desempregados.
O desemprego (de acordo com a definição da OIT) caiu de 39 mil para 277 mil no primeiro trimestre. Isso significa que 3,0% da força de trabalho está em situação de desemprego.

Contração do PIB de 1,7% no primeiro trimestre de 2020

De acordo com a primeira estimativa do PIB realizada pela CBS, o produto interno bruto (PIB) contraiu 1,7% no primeiro trimestre de 2020 em relação ao trimestre anterior. O declínio deveu-se principalmente ao menor consumo das famílias. O PIB caiu 0,5% em relação ao primeiro trimestre de 2019.

Fonte: Statistics Netherlands