Photo: Pxhere

The first preview of the Economic Activity Indicator (IAE) for May 2020, measured by the Getulio Vargas Foundation (FGV), showed a 0.6% growth in the economy in May compared to April. According to FGV, this result shows a small recovery after the strong retractions registered in March and April as a result of the covid-19 pandemic. Despite this slight recovery, the economy is still well below the level before the arrival of the new coronavirus.

Industrial and service activities continue to be those with the greatest negative impacts, with significant declines although less than those registered in April. The sharpest declines in the industry were in transformation followed by construction. In services, the biggest drops were in trade and transport.

In the quarter, the indicator points to a 10.1% decrease, compared to the quarter ended in February. When compared to the same period in 2019, the quarter ended in May decreased by 8.8%.

The IAE-FGV is an indicator that anticipates the trend of the Brazilian economy from the release of three versions based on the release of the main monthly activity surveys released by IBGE. The main information for updating the indicator is Monthly Industrial Survey – Physical Production, Monthly Trade Survey and Monthly Service Survey.

Source: Agência Brasil

Brasil: Atividade econômica tem crescimento de 0,6% em maio, diz FGV

A primeira prévia do Indicador de Atividade Econômica (IAE) para maio de 2020, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), apontou crescimento de 0,6% da economia em maio em comparação a abril. Segundo a FGV, este resultado mostra uma pequena recuperação após as fortes retrações registradas em março e abril em decorrência da pandemia da covid-19. Apesar dessa leve recuperação, a economia ainda está muito abaixo do nível anterior à chegada do novo coronavírus.

As atividades industriais e de serviços continuam sendo as com os maiores impactos negativos, com quedas significativas embora menores que as registradas em abril. As quedas mais acentuadas na indústria foram na de transformação seguida da de construção. Nos serviços, as maiores quedas foram no comércio e nos transportes.

No trimestre móvel, o indicador aponta retração de 10,1% no trimestre, em relação ao trimestre encerrado em fevereiro. Quando comparado ao mesmo período de 2019, o trimestre encerrado em maio teve um recuo de 8,8%.

O IAE-FGV é um indicador que antecipa a tendência da economia brasileira a partir da divulgação de três versões com base na divulgação das principais pesquisas mensais de atividade divulgadas pelo IBGE. As principais informações para a atualização do indicador são Pesquisa Industrial Mensal –Produção Física, Pesquisa Mensal de Comércio e Pesquisa Mensal de Serviços.

Fonte: Agência Brasil