Photo: Pxfuel

In June 2020, confidence in business continuity under the current economic conditions increased in virtually all non-financial business sectors in the Netherlands. In most sectors, over half of the entrepreneurs estimated their business would exist for at least another 12 months. In May, this was only the case for the real estate sector, retail trade and information and communication. This is reported by Statistics Netherlands (CBS) on the basis of a survey held among businesses at the beginning of June about the anticipated consequences of the coronavirus crisis.

The increased confidence in business survival throughout the coronavirus crisis was especially visible in business services last month. Compared to May, the number of business service providers expecting at least 12 more months of continuity rose by 16 percentage points to 57 percent. The sharpest increase within business services was seen in the travel industry (+41 percentage points, to 51 percent). Confidence in business continuity also rose substantially among temp agencies, in legal services and among security firms.

Confidence in survival highest in real estate sector and retail trade

Confidence in business continuity was highest among entrepreneurs engaging in real estate activities; 75 percent were positive about at least one year continuity in June, the same percentage as in May. Among retailers, 69 percent were expecting at least 12 months of continuity, i.e. 4 percentage points up on May.

Lowest confidence in accommodation and food services; culture, sports and recreation

In June, the lowest confidence scores regarding 12 months continuity were found in accommodation and food services (25 percent) and among businesses in culture, sports and recreation (38 percent). Compared to May, the number of entrepreneurs expecting to survive in these sectors was up by 4 and 14 percentage points, respectively. One-third of entrepreneurs in accommodation and food services estimated their business would exist for another 5 months or less in the current economic situation, while 30 percent indicated they were unable to rate their chances of survival. In culture, sports and recreation as well, 30 percent were not able to estimate their survivability, while 19 percent believed their business would continue to exist for another 5 months or less.

Source: Statistics Netherlands

Holanda: Menos preocupações com a sobrevivência dos negócios na maioria dos setores

Em junho de 2020, a confiança na continuidade dos negócios nas atuais condições econômicas aumentou em praticamente todos os setores de negócios não financeiros na Holanda. Na maioria dos setores, mais da metade dos empresários estimou que seus negócios existiriam por pelo menos mais 12 meses. Em maio, esse foi apenas o caso dos setores imobiliário, do comércio varejista e informação e comunicação. Isso é relatado pela Statistics Netherlands (CBS) com base em uma pesquisa realizada entre empresas no início de junho sobre as consequências previstas da crise do coronavírus.

O aumento da confiança na sobrevivência dos negócios durante a crise do coronavírus foi especialmente visível nos serviços empresariais no mês passado. Em comparação com maio, o número de prestadores de serviços que esperam pelo menos mais 12 meses de continuidade aumentou 16 pontos percentuais, para 57%. O aumento mais acentuado foi observado no setor de viagens (+41 pontos percentuais, para 51%). A confiança na continuidade dos negócios também aumentou substancialmente entre agências de trabalho temporário, serviços jurídicos e empresas de segurança.

Maior confiança no setor imobiliário e no varejo

A confiança na continuidade dos negócios foi maior entre os empreendedores envolvidos em atividades imobiliárias; 75% foram positivos em relação a pelo menos um ano de continuidade em junho, a mesma porcentagem de maio. Entre os varejistas, 69% esperavam pelo menos 12 meses de continuidade, ou seja, 4 pontos percentuais acima em maio.

Menor confiança em serviços de acomodação e alimentação; cultura, esportes e recreação

Em junho, os menores índices de confiança em 12 meses de continuidade foram encontrados em serviços de acomodação e alimentação (25%) e entre empresas de cultura, esportes e recreação (38%). Em relação a maio, o número de empresários que esperam sobreviver nesses setores aumentou 4 e 14 pontos percentuais, respectivamente. Um terço dos empresários em serviços de acomodação e alimentação estimou que seus negócios existiriam por mais 5 meses ou menos na atual situação econômica, enquanto 30% indicaram que não eram capazes de avaliar suas chances de sobrevivência. Também na cultura, esportes e recreação, 30% não foram capazes de estimar sua capacidade de sobrevivência, enquanto 19% acreditavam que seus negócios continuariam a existir por mais 5 meses ou menos.

Fonte: Statistics Netherlands