Photo: Pixabay

The Brazilian economic activity increased in August, according to data released yesterday (15) by the Central Bank (BC). It is the fourth consecutive month of growth, after the falls in the months of March and April, due to the social isolation measures necessary to face the covid-19 pandemic.

The Central Bank’s Economic Activity Index (IBC-Br), seasonally adjusted, expanded by 1.06% in August, compared to July. But in comparison with July 2019, there was a fall of 3.92% (without adjustment for the period, since the comparison is between equal months). In the 12 months ended in August, the indicator also fell by 3.09%. In the year, the IBC-Br was negative by 5.44%.

The IBC-Br is a way of evaluating the evolution of Brazilian economic activity and helps the BC to make its decisions about the basic interest rate, the Selic. The index incorporates information on the level of activity of the three sectors of the economy: industry, trade and services and agriculture, in addition to the volume of taxes.

The indicator was created by the Central Bank to try to anticipate, by approximation, the evolution of economic activity. However, the official indicator is the GDP, calculated by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE). For the financial market, GDP is expected to fall by 5.03% in 2020.

Source: Agência Brasil

Brasil: Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central

A atividade econômica brasileira registrou alta em agosto, de acordo com os dados divulgados ontem (15) pelo Banco Central (BC). É o quarto mês consecutivo de crescimento, após as quedas nos meses de março e abril, devido às medidas de isolamento social necessárias para o enfrentamento da pandemia de covid-19.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), dessazonalizado (ajustado para o período), apresentou expansão de 1,06% em agosto, em relação a julho. Mas na comparação com julho de 2019, houve queda de 3,92% (sem ajuste para o período, já que a comparação é entre meses iguais). Em 12 meses encerrados em agosto, o indicador também teve queda de 3,09%. No ano, o IBC-Br ficou negativo em 5,44%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo Banco Central para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Entretanto, o indicador oficial é o Produto Interno Bruto, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o mercado financeiro, o PIB deve registrar queda de 5,03%, em 2020.

Fonte: Agência Brasil