Photo: CBS

The fall in imports accompanied by stability in exports made the Brazilian trade balance register the second largest surplus for the months of October. Last month, the country exported US$ 5.473 billion more than it imported, according to the Ministry of Economy.

The result is second only to October 2018, when the trade balance had registered a surplus of US$ 5.792 billion. Last month, the country sold US$ 17.855 billion abroad, with a slight increase of 0.3% on the daily average year-on-year. Imports, however, fell, totaling US$ 12.383 billion, a reduction of 20% also by the daily average.

With the result of last month, the trade balance accumulates a surplus of US$ 47.662 billion from January to October. This is the second best result of the historical series for the period, losing from January to October 2017 (surplus of US$ 58.451 billion).

In the accumulated for 2020, exports totaled US$ 174.379 billion, a decrease of 6.5% in comparison with the same period of 2019 by the daily average. Imports totaled US$ 126.717 billion, a decrease of 14.7% by the same criteria.

Most of the increase in the balance in October is explained by the fall in imports from the manufacturing industry, which decreased US$ 140.67 million by the daily average in relation to the same month last year, and from the extractive industry, whose purchases from abroad shrank US$ 15.16 million.

On the export side, the end of the grain harvest caused agricultural exports to fall by US$ 36.93 million by the daily average in relation to October last year. In contrast, extractive industry sales rose $ 14.89 million, and manufacturing industry exports, which accumulated a long series of declines, rose US$ 23.38 million in the same comparison.

Source: Agência Brasil

Brasil: Balança comercial registra superávit de US$ 5,47 bi em outubro

A queda nas importações acompanhada da estabilidade nas exportações fez a balança comercial brasileira registrar o segundo maior superávit para meses de outubro. No mês passado, o país exportou US$ 5,473 bilhões a mais do que importou, divulgou o Ministério da Economia.

O resultado só perde para outubro de 2018, quando a balança comercial tinha registrado superávit de US$ 5,792 bilhões. No mês passado, o país vendeu US$ 17,855 bilhões para o exterior, com leve alta de 0,3% pelo critério da média diária em relação ao mesmo mês do ano passado. As importações, no entanto, caíram, somando US$ 12,383 bilhões, redução de 20% também pela média diária.

Com o resultado do mês passado, a balança comercial acumula superávit de US$ 47,662 bilhões de janeiro a outubro. Esse é o segundo melhor resultado da série histórica para o período, perdendo para janeiro a outubro de 2017 (superávit de US$ 58,451 bilhões).

No acumulado de 2020, as exportações somam US$ 174,379 bilhões, retração de 6,5% na comparação com o mesmo período de 2019 pela média diária. As importações totalizam US$ 126,717 bilhões, recuo de 14,7% pelo mesmo critério.

A maior parte da alta do saldo em outubro é explicada pela queda da importação da indústria de transformação, que recuou US$ 140,67 milhões pela média diária em relação ao mesmo mês do ano passado, e da indústria extrativa, cujas compras do exterior encolheram US$ 15,16 milhões.

Do lado das exportações, o fim da safra de grãos fez as exportações da agropecuária caírem US$ 36,93 milhões pela média diária em relação a outubro do ano passado. Em contrapartida, as vendas da indústria extrativa subiram US$ 14,89 milhões, e as exportações da indústria de transformação, que acumulavam uma longa sequência de quedas, subiram US$ 23,38 milhões na mesma comparação.

Fonte: Agência Brasil